Visto, lido e ouvido

Visto, lido e ouvido

Desde 1960

Circe Cunha (interina) circecunha.df@dabr.com.br
postado em 30/01/2019 00:00
Mar de lama

Por sua extensão territorial, pela multiplicidade de cidades e mesmo pelo elevado contingente populacional, o Brasil é um país que requer a realização permanente de grande número de obras públicas de infraestrutura variadas de pequeno e grande portes, apenas para atender às necessidades presentes. Com isso, milhares desses empreendimentos, financiados, obviamente, com recursos do contribuinte são executados a cada ano, nas diferentes regiões do país. Fiscalizar, conforme manda o manual de boas práticas da administração, essa quantidade de obras, algumas de elevada complexidade técnica, exige dos órgãos de controle pessoal preparado e em número suficiente para dar conta de uma tarefa desse tamanho.

Para acrescentar alguns complicadores à complexa equação, há ainda a existência de inúmeros casos de malversação dos recursos. Ou seja, entre o projeto na prancheta e a finalização da obra vai um extenso e tortuoso caminho. É justamente nesse desvão da estrada burocrática que o dinheiro dos cofres públicos vai minguando, minguando até desaparecer por completo, normalmente deixando a obra inconclusa. A finalização fica como legado para a futura gestão.

Ao analisar só o aspecto corriqueiro em nosso país, tem-se, ao fim de cada ano, centenas de obras públicas inacabadas para serem corroídas pelo tempo, o que eleva às alturas os prejuízos para os cidadãos. Quando ocorre da obra pública ser definida como de grande porte, os prejuízos, pelos números astronômicos, passa a receber a tarja de ;incalculável;, sendo, automaticamente, debitada na conta dos contribuintes no quesito deficit público. Com essa rotina histórica, vimos, desde 1500, construindo o Brasil. Com isso, vamos nos movendo para frente, dando dois passos adiante e um para trás. Pelas consequências brandas contra os envolvidos diretamente nesses casos escandalosos, é de se presumir que esse é ainda, depois de cinco séculos, um grande negócio, capaz de enriquecer, em apenas quatro anos, todo um clã político. Com as parcerias público-privadas, pensadas, inicialmente, para serem um alívio para o contribuinte, o aroma inebriante emanado pelo dinheiro público fácil, passou a atrair enxames de empreiteiras, logicamente, interessadas também nessas facilidades.

À fiscalização rarefeita veio se juntar uma miríade de administradores políticos sem remorsos ou escrúpulos, eleitos e absolvidos a cada quatro anos, devidamente assessorados pelos mais gananciosos e aéticos empresários de que se tem notícia. Não espanta, pois, a eclosão diária de todo o tipo de escândalos de corrupção, bem como notícias dando conta da morte de centenas de trabalhadores, sepultados por milhões de metros cúbicos de lama. Talvez, seja esse mesmo o tão propalado mar de lama de que tanto falam.



A frase que foi pronunciada

;Se falarmos com calma, de maneira profissional, permita-me chamar a atenção para o fato de que a Rússia fornece armas ao governo legítimo da Síria, em total conformidade com as normas do direito internacional. Não estamos violando nenhuma regra ou norma.;

Vladimir Putin, presidente da Rússia



Fio terra
; São mais de 50 milhões de descargas elétricas por ano no Brasil. Os dados são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Com o verão, as descargas elétricas aumentam a possibilidade do corte repentino da energia. O Inpe mostra, cientificamente, que é preciso levar a sério o aterramento nas edificações para evitar perdas materiais e eliminar o risco de choques, colocando vidas em risco.


Orientações
; Hoje, no Dia do Farmacêutico, quem passar pela Rodoviária Interestadual, das 9h às 12h, poderá ver o Conselho de Farmácia do DF (CFDF) em ação. Os focos serão idosos com doenças crônicas e crianças.;Esperamos poder atender a cerca de 3 mil pessoas com exames de glicemia, de pressão, orientações quanto ao uso correto de medicamentos e distribuição de material informacional;, disse a presidente da autarquia, dr; Gilcilene Chaer.


Presença
; Por falar nisso, a presidente do CFDF lembrou muito bem: é obrigatória a presença de um responsável técnico de nível superior durante o funcionamento das farmácias. Essa foi uma conquista que precisa ser preservada e cobrada.


Invasões
; Atrás do Colégio do Sol, no Lago Norte, havia uma placa sinalizando que a área era de proteção ambiental. Agora, há casas e muros altos. Essa é uma área de vários Núcleos Rurais. Muitos deles invadidos pela grilagem. E a administração do Lago Norte fica por ali.


Autoestima
; Bonito ver o alto-astral de moças e senhoras que limpam as ruas da cidade. A roupa quente e o trabalho pesado não as impedem de trabalhar maquiadas, com adereços e bem penteadas.


Dietas
; Dietas que vão e vêm raramente são tratadas pela importância que trazem em relação à saúde bucal. O Conselho de Odontologia de São Paulo mostra como a alimentação adequada reflete nos dentes, gengivas e hálito. Um dos exemplos foi o jejum intermitente, em que a pessoa tem o pH diminuído, o que interfere na acidez da boca.




História de Brasília
Os tampões das galerias pluviais da tesourinha do Hospital Distrital estão obstruídos e uma enorme poça esteve formada durante todo o dia de ontem. Se hoje chover novamente, a situação se agravará. (Publicado em 9/11/1961)




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação