Curiosidades

Curiosidades

postado em 18/02/2019 00:00
Rubem Braga, numa de suas geniais crônicas, fez uma série de observações, por si só, já muito curiosas, acerca do guarda-chuva. O objeto ordinário, comentou o cronista em 1957, não passou por sofisticações como outros utensílios de nosso cotidiano que se transformaram com o tempo. Sempre foi ergométrico e funcional antes que essas qualidades se tornassem regra. ;O guarda-chuva (é) o objeto do mundo moderno mais infenso a mudanças;, disse. Claro que modelos diferenciados existem e estão por aí. Mas o ;austero, negro, com seu cabo e suas invariáveis varetas; prevalece. Em Brasília no mês de fevereiro, ele voltou a ser requisitado. Seja para as intensas chuvas ou para os intensos sóis. Confira curiosidades sobre o guarda-chuva:

- Escavações históricas sugerem que os chineses foram os primeiros a criar uma cúpula de tecido desmontável por volta do ano 21 A.C., quando os governantes estavam interessados em ter algum tipo de cobertura de sombra para suas carruagens. Especula-se que apenas entre o século 16 e século 17, passou a ser utilizado para proteger da chuva. Naquele período, o material que compunha o acessório era feito de seda. Apenas mulheres eram bem-vistas com um guarda-chuva em mãos.

- Os guarda-chuvas modernos são muito semelhantes em seu design aos modelos que foram usados na Grécia e Roma antigas. Atualmente, existem muitos tipos de guarda-chuvas no mercado, entre eles os guarda-chuvas tradicionais, automáticas, compactas, bolha, tempestade e muletas.

- O primeiro homem que publicamente carregou o guarda-chuva foi o influente inglês Jonas Hanway (1712 ; 1786), responsável por introduziu o guarda-chuva à população masculina da Inglaterra, e logo após o mundo inteiro.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação