A revolução do funk

A revolução do funk

DJs explicam como funciona o movimento 150 BPM, estilo que domina as festas de Brasília e está sendo explorado por vários artistas

» Vinícius Veloso*
postado em 18/02/2019 00:00
 (foto: Victor Vec/Divulgação)
(foto: Victor Vec/Divulgação)

A revolução musical chegou a um dos ritmos mais brasileiros, o funk. O estilo passou por muitas mudanças desde a primeira aparição no Brasil com o DJ Marlboro, estava com domínio situado em São Paulo, seguindo a fase da ostentação, com letras que remetem ao luxo, acompanhadas pela tradicional batida. Porém, tudo mudou com a chegada do 150 BPM.

Famoso pela animação que transmite para as pessoas com uma batida envolvente e danças coreografadas, ganhou mais um elemento para incrementar o estilo. A velocidade. Alterações para acelerar a batida das músicas fizeram com que o funk se tornasse mais dançante e empolgante.
Ao sair das comunidades do Rio de Janeiro, o 150 BPM sofreu para se firmar no cenário nacional. Originalmente, a batida costuma vir acompanhada de letras pesadas conhecidas como proibidão, dificultando a aceitação do público nas festas. Mas a mudança veio com artistas como Anitta e Dennis DJ, que começaram a utilizar as músicas do Baile da Gaiola com letras mais leves, priorizando a velocidade do funk.
Em entrevista ao Correio, o DJ Omulu conta: ;Eu moro no Rio de Janeiro, e o 150 BPM tomou a cidade. É a tendência musical do verão, as músicas do Baile da Gaiola já estão tocando de norte a sul do país;

Famoso por lançar sets musicais animados, o DJ é responsável pela produção do último hit de Duda Beat em parceria com Lux & Tróia. Em Meu jeito de amar, Omulu utiliza o 150 BPM em uma canção pop, tornando-a mais animada e mostrando que o estilo consegue ser aplicado de várias maneiras. ;Além da composição e da voz da cantora pernambucana Duda Beat, a música contou com a produção adicional dos músicos Lux & Tróia, que trouxeram uma coisa mais orgânica para o som. Virou uma canção pop com batida 150BPM. Eu acho que essa mistura funcionou muito bem;, conta Omulu

150 BPM em Brasília

DJ Kacá, conhecido por animar as festas de Brasília, absorveu o novo estilo de funk carioca e incorporou ao trabalho somente após a aceitação do público que frequenta os eventos da cidade, sem atropelar o processo. ;Brasília segue tendências de outras cidades. O 150 BPM demorou um pouco para chegar à cidade porque ele está ligado ao proibidão, e, em 90% das festas, o pessoal não aceita essa ousadia do funk. Quando surgiu a mudança das letras para uma versão mais light, o pessoal começou a pedir sempre. Hoje em dia, 70% do que eu toco é 150 BPM.;

Com mais de 15 anos de carreira e especialista em sets de funk carioca, definiu o estilo como uma aceleração, sendo uma evolução natural que veio para ficar. ;Gosto do funk pelas mudanças, ele é muito eclético dentro da sua essência. Aceleraram as batidas e combinou, o pessoal se amarra, anima mais a festa. É a evolução, veio pra ficar. As novidades que surgem estão sendo muito boas;, declara o DJ.

MC Kevin o Chris e FP do Trem Bala, fenômenos do 150 BPM, que lançaram a música Vamos pra gaiola, estão com shows marcados para Brasília no dia 15 de março, com ingressos promocionais a R$ 40. O primeiro se apresenta no Bloco da Drop, sem lugar divulgado. O segundo, no Minas Brasília.

Estagiário sob a supervisão de Severino Francisco

; Músicas que estão bombando com o 150 BPM

; Eu não vou embora - DJ Zullu, Anitta e MC G15
; Hoje eu vou parar na gaiola - MC Livinho e DJ Rennan da Penha
; Vamos pra gaiola - MC Kevin o Chris e FP do Trem Bala
; Meu jeito de amar - Omulu, Duda Beat e Lux & Tróia
; Agora é tudo meu - Dennis DJ e MC Kevinho

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação