Camisinha sempre!

Camisinha sempre!

Com cada vez mais jovens deixando de usar preservativo, cresce o número de casos de doenças sexualmente transmissíveis e, consequentemente, de infertilidade

Por Silvana Sousa* Por Ailim Cabral
postado em 03/03/2019 00:00
Chega o carnaval e especialistas da área de saúde reforçam a preocupação com a prática do sexo seguro. E não faltam motivos para tal. A camisinha tem sido cada vezes menos usada por jovens em idade fértil. Segundo o Ministério da Saúde, apenas 56,6% dos brasileiros entre 15 e 24 anos se protegem com parceiros eventuais. Além do risco de gravidez, a mudança no comportamento traz à tona a preocupação com as Doencas? Sexualmente Transmissíveis (DSTs), que tiveram aumento no número de incidência.

Entre as enfermidades que mais crescem no país estão sífilis, clamídia e gonorreia. O aumento de ocorrência de sífilis, por exemplo, ultrapassou 5.000% em cinco anos, passando de 1.249, em 2010, para para 65.878, em 2015.

Além do incômodo com feridas, dor e ardência ao urinar, as DSTs podem ocasionar complicações graves no organismo, como a infertilidade. De acordo com o ginecologista Vinícius Medina Lopes, especialista em reprodução assistida, os infectados muitas vezes não sabem que têm uma DST, facilitando o contágio e o retardando o tratamento. ;São infecções que podem causar danos irreversíveis ao aparelho reprodutor se não forem tratadas logo e adequadamente;, alerta.

Segundo o médico, a infertilidade é uma das principais consequências do não tratamento das DSTs que provocam inflamações nos órgãos reprodutores. No caso das mulheres, as trompas são as mais atingidas, o que ocasiona a obstrução do órgão e impede o encontro entre o óvulo e o espermatozoide. Além disso, caso a obstrução seja apenas parcial, a mulher corre o risco de desenvolver uma gestação ectópica ; quando o embrião se desenvolve fora do útero. ;A gravidez tubária, muitas vezes, é uma consequência de inflamações causadas por uma DST;, explica Vinícius. Nesses casos, por não estar no local adequado, é raro que o feto sobreviva.

Apesar de grave, o quadro de obstrução das trompas pode ser revertido por meio de cirurgia. O mesmo não acontece no caso dos homens. De acordo com o ginecologista, o principal órgão afetado no sistema reprodutor masculino são os chamados túbulos seminíferos, que nutrem e produzem os espermatozoides. Com a espessura de um fio de cabelo, é impossível desobstruí-los.

O ginecologista frisa que detectar e tratar uma DST não é complicado. Exames de urina, sangue e de rotina ginecologica? podem diagnosticar o problema rapidamente. O Sistema de Único de Saéde (SUS) conta com testes rápidos para detecção das enfermidades, além de distribuir camisinhas gratuitamente durante todo o ano. ;Ao perceber qualquer um dos sintomas, é importante procurar imediatamente o médico e fazer com que o parceiro faça o mesmo, pois o tratamento deve ser feito pelo casal. Se só um dos parceiros tratar, o problema persistirá e poderá evoluir;, esclarece Vinícius.

*Estagiário sob supervisão de Sibele Negromonte

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação