Viagem aos EUA e à China

Viagem aos EUA e à China

postado em 09/03/2019 00:00
 (foto: Jim Watson/AFP - 19/1/19)
(foto: Jim Watson/AFP - 19/1/19)


O presidente Jair Bolsonaro será recebido pelo chefe do Executivo dos Estados Unidos, Donald Trump, em 19 de março. O governo norte-americano confirmou a visita em comunicado divulgado ontem. Os dois se encontrarão no Salão Oval da Casa Branca e, depois, participarão de um almoço. Um dos assuntos será a Venezuela.

;O presidente Trump e o presidente Bolsonaro discutirão como construir um hemisfério ocidental mais próspero, seguro e democrático. Os líderes das duas maiores economias do hemisfério também discutirão oportunidades de cooperação em defesa, políticas comerciais pró-crescimento, combatendo o crime transnacional e restaurando a democracia na Venezuela. Finalmente, eles falarão sobre o papel principal que os Estados Unidos e o Brasil estão desempenhando no esforço de fornecer assistência humanitária à Venezuela;, diz a nota.

Outra viagem foi confirmada pelo presidente Jair Bolsonaro: para a China. A notícia veio após cerimônia de recebimento das credenciais de novos embaixadores. Entre eles, o emissário chinês, Yang Wanming, que formalmente fez o convite para o chefe do Palácio do Planalto em nome do presidente chinês, Xi Jinping. A dúvida de Bolsonaro é sobre quando será feita a viagem à China. Segundo ele, a agenda de viagens internacionais está cheia no primeiro semestre, mas acredita que a visita pode ser feita na segunda metade de 2019. ;Confirmei com o embaixador que farei uma viagem à China no corrente ano;, declarou.

O aceno ao embaixador chinês mostra uma nova postura na política exterior brasileira. Até então, o governo brasileiro vinha mantendo uma grande proximidade com os Estados Unidos e aliados da política de Donald Trump, como Israel. A ideia do governo é aprimorar a relação com a China. ;Vai melhorar, com toda a certeza;, destacou. A intenção do Brasil é se aproximar do ;mundo todo;, ressaltou Bolsonaro. ;(Queremos) ampliar nossos negócios, abrir nossas fronteiras, e assim será o nosso governo. Essa foi a diretriz dada a todos os nossos ministros;, afirmou.

Jornal questiona o presidente

O jornal britânico de economia Financial Times publicou ontem uma reportagem sobre o Brasil que questiona a recente atuação de Jair Bolsonaro. O texto, que usa o termo ;xixigate; ; como foi apelidada pela publicação a polêmica criada em torno da postagem de um vídeo de teor pornográfico nas redes sociais do presidente ; questiona se as ;guerras de cultura; do presidente do Brasil vão prejudicar as reformas econômicas do país. O FT lembrou que mais de 58 milhões de brasileiros votaram em Bolsonaro nas eleições do ano passado, apesar de seu histórico de comentários incendiários e provocativos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação