As oportunidades perdidas punem

As oportunidades perdidas punem

O Vasco manteve a invencibilidade na competição depois de estar perdendo o clássico para o Flamengo até os 50 minutos do segundo tempo. No rubro-negro, Bruno Henrique foi expulso e Vitinho saiu machucado

postado em 10/03/2019 00:00
 (foto: Alexandre Vidal/Flamengo)
(foto: Alexandre Vidal/Flamengo)



Um gol marcado por Maxi López, de pênalti, aos 50 minutos do segundo tempo ; polêmico, segundo os flamenguistas ;, impediu que o Vasco tivesse a invencibilidade quebrada no clássico diante do Flamengo, disputado na noite de ontem, no Maracanã, pela terceira rodada da Taça Rio. Escalado com uma equipe alternativa, o rubro-negro saiu na frente com um gol de Arrascaeta e acabou cedendo o empate quando a sua torcida já comemorava a vitória diante do tradicional adversário. Os jogadores do Flamengo protestaram contra a marcação da penalidade, e Bruno Henrique acabou recebendo o cartão vermelho depois do apito final.

Com o resultado de 1 x 1, o Vasco assumiu a segunda colocação do Grupo B com cinco pontos ganhos, enquanto o Flamengo lidera o Grupo C com sete pontos. Na próxima rodada, o Vasco vai enfrentar a Cabofriense, no estádio Kléber Andrade, em Cariacica; o Flamengo receberá o Volta Redonda, no Maracanã.

O técnico Abel Braga poupou os titulares para o compromisso da Libertadores, mas escalou o trio de R$ 127 milhões ; Arrascaeta, Vitinho e Éverton Ribeiro ;, responsável pelos melhores momentos da equipe durante o jogo. O destaque negativo da partida foi o lateral Rodinei. Um minuto antes de o árbitro marcar o pênalti em favor dos vascaínos, ele perdeu um gol feito. Outra má notícia veio com Vitinho, que saiu com dores no adutor esquerdo e será avaliado amanhã. O Vasco mostrou um desempenho irregular, mas, mesmo assim, criou várias chances para sair com um resultado melhor e esbarrou na boa atuação do goleiro César, que apareceu muito bem nos momentos de maior pressão do adversário.

Após a partida, o técnico Abel Braga ironizou o pênalti marcado pelo árbitro Wagner Magalhães. ;A gente lamenta por causa da luta que teve, jovens jogadores, heróis, representaram a camisa. Mas é engraçado: todos saíram com raiva, porém, eu achei tudo muito engraçado;, disse na entrevista coletiva. ;Esse é o futebol do Rio: não tem torcida, abre no meio do jogo... Depois não quer crítica;, afirmou Abel, referindo-se à confusão dos portões fechados na final da Taça Guanabara, entre Vasco e Fluminense.

Já o técnico vascaíno afirmou que, com mais calma, todos vão rever o lance e confirmar que foi pênalti. No entanto, Alberto Valentim preferiu focar na força de vontade e na serenidade dos jogadores. ;A gente não estava preocupado em empatar, porque perderíamos invencibilidade. Queremos somar pontos, porque o regulamento dá vantagem para a melhor campanha;, apontou. O goleiro Fernando Miguel, por outro lado, deixou claro que o fato de o Vasco não ter perdido na competição é importante. ;Os números servem para potencializar o que a gente tem feito. Nossa equipe mostrou poder de reação grande;.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação