Gucci

Gucci

postado em 10/03/2019 00:00
 (foto: Filippo Fior/Divulgação)
(foto: Filippo Fior/Divulgação)
Reconhecer a tradição de uma marca também é trazer novos olhares sobre ela. Diferentemente de tudo o que a Gucci estava acostumada a fazer, Alessandro Michele, diretor-criativo da grife, tem transformado o mercado de luxo em seu modo de ver o mundo. Para ele, o futuro é agênero, maximalista e esportivo. A inspiração para o outono/inverno 2020 veio com ares ingleses, com referências punk (vide os maxicolares com spikes) e com uma alfaiataria repaginada, influenciada pelo streetwear. As máscaras usadas no styling do desfile reforçou o ideal genderless (moda sem gênero) que a marca tem aderido e representou o que Michele argumenta: seja o personagem que você quiser ser e performe no palco que é o mundo.


O total white da Gucci não é nada óbvio e inteiramente agênero


Looks monocromáticos apareceram com mais frequência nesta coleção, e a alfaiataria com mood esportivo


As máscaras usadas pelos modelos no showroom da grife, um dia após o desfile


Desvendadas na passarela, bolsas estruturadas surgiram em novas colorações

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação