Crítica a servidores

Crítica a servidores

» GABRIELA VINHAL
postado em 13/03/2019 00:00


A insatisfação por parte dos funcionários públicos acerca da reforma da Previdência tem sido alvo de debate entre interlocutores do governo federal e representantes da categoria. O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), criticou, ontem, a postura dos servidores que são contrários ao projeto. ;O servidor público que sabe fazer conta vai criar uma associação para os defensores da reforma. Se não for assim, eles vão ficar sem receber salários;, disse.

Maia admitiu ainda que, se houver diálogo, a regra de transição para a categoria pode ser alterada ; além desse ponto, funcionários públicos reclamam do aumento na alíquota de contribuição, que passaria para até dos 11% atuais para até 22%, no caso de quem ganha acima do teto de R$ 39 mil.

Questionado sobre o avanço na articulação do Planalto no Parlamento para a admissibilidade da reforma, o deputado admitiu que o governo ;continua perdendo; a batalha. ;Deixou de perder de 6 x 0 e agora tá de 3 x 1. Mas vai precisar ganhar até maio;, afirmou. Aliado do presidente Jair Bolsonaro, o deputado é uma das figuras que participam da articulação do Executivo no Parlamento.

Maia se reuniu na noite de segunda-feira com os líderes de todos os partidos para debater a composição da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Ele está otimista de que os integrantes da comissão, que serão anunciados entre hoje e quarta-feira (13/3), garantirão a aprovação da proposta. No encontro, ficou acordado que a admissibilidade do texto só será apreciada depois que o ministro da Economia, Paulo Guedes, enviar ao Parlamento a reforma dos militares até o dia 20.

Maia explica que, segundo o regimento interno, ;felizmente ou infelizmente;, a proposta só poderá ser votada a partir do dia 27. Após queixas de parlamentares, de que o governo estava desorganizado na articulação política no Congresso, Guedes tem se mobilizado para manter um bom diálogo com os líderes acerca da reforma.

Discurso da Antártida

Alvo de críticas por ter viajado à Antártida em semana decisiva para a reforma da Previdência, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, gravou um vídeo nas redes sociais para tranquilizar os apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e deixar claro que ;o governo não perderá seu rumo;. O ministro falou, ainda, que recebeu notícias de que há ;desinformação proposital; e pessoas que tentam ;criar confusão no governo; ao falar de nomeações. Também disse que há aqueles que ;assacam; servidores de carreira.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação