Repercussão internacional

Repercussão internacional

BEATRIZ ROSCOE* MARINA TORRES*
postado em 13/03/2019 00:00
As prisões de acusados da morte de Marielle Franco e Anderson Gomes tiveram repercussão na mídia internacional. Nos Estados Unidos, o The New York Times classificou a vereadora como ;estrela em ascensão; e destacou o fato de as prisões serem um avanço nas investigações sobre o assassinato que assombrou o país. O também americano The Washington Post noticiou as prisões e publicou declarações do deputado federal Marcelo Freixo, do PSol-RJ, mesmo partido da vereadora, afirmando que o caso ainda não foi resolvido.

A britânica BBC News ressaltou a cobrança por resultados das investigações, que, até então, não tinham levado ninguém à Justiça. Já o francês Le Monde lembrou a luta de Marielle contra o racismo, a homofobia e as violências policiais, além de trazer uma breve explicação sobre o que chamou de ;fenômeno das milícias;, ressaltando a impunidade na maioria dos casos que ocorrem há cerca de 20 anos. O jornal espanhol El País destacou o fato de o Brasil ter altas taxas de mortes violentas e que o anúncio das prisões foi uma surpresa no país.

O El Comércio peruano afirmou que essas prisões marcam um primeiro passo, à espera de que se saiba de onde veio a ordem. O jornal argentino Clarín ressaltou declarações da mãe da vereadora, Marinete Silva, afirmando que é necessário saber quem mandou matar a filha. O chileno La Nación frisou que Marielle deixou de ser uma figura conhecida apenas no reduto da política local e passou a ser um ;símbolo mundial de resistência que motivou protestos massivos exigindo respostas;.

*Estagiárias sob supervisão de Cida Barbosa

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação