Visto, lido e ouvido

Visto, lido e ouvido

Desde 1960

Circe Cunha (interina) circecunha.df@dabr.com.br
postado em 13/03/2019 00:00
Por um novo modelo de educação

Uma das questões que tem preocupado muito os especialistas em Educação é saber se o Brasil terá tempo e condições para acompanhar e implementar algumas das profundas e rápidas transformações que estão sendo operadas no ensino em boa parte do mundo desenvolvido e que serão de vital importância nesses novos tempos. Quando se percebe que nem ao menos o básico, como salas de aulas decentes e professores bem remunerados, o país consegue manter, pensar em assuntos como globalização ou aquecimento do planeta e outros tema do cotidiano é colocar o carro à frente dos bois.

Em pleno limiar do século 21, andamos às voltas com problemas primários, como escolas sem teto, sem banheiro, sem refeição e sem professores. Enquanto isso, o mundo civilizado vai empreendendo profundas revoluções no ensino, criando escolas bem distantes do modelo tradicional, herdado do século 18. Nesses países, o antigo modelo de ensino vai dando lugar a uma educação que valoriza mais as habilidades dos alunos do que as fórmulas prontas, aplica a tecnologia e estimula a curiosidade.

Nessas novas escolas, a preocupação é preparar indivíduos que possam ser devidamente inseridos num mundo em rápida transformação e onde muitas das atuais profissões simplesmente desaparecerão. Educadores modernos concordam que num mundo dominado pela tecnologia nenhum conteúdo educacional, mesmo aqueles ligados à linguagem de programação, terá valor prático se não for aplicado ao mundo real.

O ponto fundamental nessa nova escola é ensinar a criança a raciocinar, com base no pensamento crítico e a partir de problemas reais do dia a dia. Uma dessas metodologias em países como a Holanda, Inglaterra, Finlândia e Estados Unidos que tem chamado a atenção também da própria organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) é o Ensino Baseado em Competências (EBC), que tem como objetivo desenvolver as habilidades e o raciocínio das crianças, deixando de lado os velhos métodos da memorização de conteúdos.

Nessa nova modalidade de ensino, os alunos adquirem conhecimento à medida que vão desenvolvendo projetos específicos. Deixam de existir também a divisão dos alunos por séries. Pesquisas diversas, ao longo das últimas décadas, têm demonstrado que o ensino tradicional, com currículos rígidos e lineares, desenvolvidos de forma rápida e num mesmo ritmo para todos , tem, na verdade, levado os alunos a um caminho oposto a uma educação hodierna de qualidade.

Para tanto, essa nova pedagogia foca em quatro habilidades centrais, necessárias para enfrentar os desafios próprios desse século, e que são a comunicação, a colaboração, a criatividade e o pensamento crítico. Outro aspecto importante nessa nova abordagem é o desenvolvimento nas crianças do pensamento ético, visando às perspectivas sociais, de forma que o aluno possa adotar decisões pensando primeiro nos efeitos que produzirão para toda a comunidade.


A frase que foi pronunciada
;O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa.
A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.;

Içami Tiba,
psiquiatra e escritor brasileiro.


45 anos
; Professor Nagib Nassar nos lembra que leciona a disciplina Biodiversidade: formação, conservação e evolução para alunos de pós-graduação de botânica, na UnB. Veja as fotos do curso no blog do Ari Cunha. O sucesso está na biodiversidade em espécies silvestres da mandioca Manihot spp. Alto conteúdo proteico e resistência a doenças.

Sem atendimento
; Depois de todas as garantias às empregadas domésticas, se os patrões tiverem qualquer dúvida sobre o E-Social, não há lugar físico para atendimento. Apenas o Fale Conosco ou pelo 0800.

Nota
; Esta semana, em uma reunião no quartel do Comando Geral do Corpo de Bombeiros do DF, foram discutidas as diretrizes para a implantação de um Grupo de Força-Tarefa para o Programa SOS DF Saúde no combate ao Aedes aegypti. Todas as administrações regionais estavam presentes.

Evolução?
; No Brasil (e em Portugal) funcionou a ;Roda dos enjeitados; (ou dos expostos), na Santa Casa de Misericórdia, no Rio de Janeiro desde 1738, em São Paulo de 1825 até 1950 (a última a tê-la), para receber as crianças abandonadas pela mãe e cuidar delas até a adolescência. Hoje, a ideia é liberar o aborto.


História de Brasília
Até o momento, embora deferida, ainda não foi feita a reintegração de posse do apartamento ocupado por um antigo oficial de gabinete do dr. Jânio Quadros, já desligado de Brasília.(Publicado em 15.11.1961)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação