360 Graus

360 Graus

por Jane Godoy janegodoy.df@dabr.com.br
postado em 13/03/2019 00:00
 (foto: Diógenes Jansen/Divulgação)
(foto: Diógenes Jansen/Divulgação)













Uma importante aula inaugural

A Quarta-feira de cinzas (6) ficou marcada em Brasília não pelo dia em que os brasileiros se despedem do carnaval, mas porque algo muito importante e bonito aconteceu no Guará, com muita animação, alegria e sensação de dever cumprido.

O Laboratório de Robótica e Tecnologia Include do Guará foi inaugurado em 17 de dezembro de 2018. Como despedida da direção das Voluntárias Cisne Branco na seccional Brasília, a professora Ana Beatriz Goldstein, que esteve à frente da direção daquela instituição filantrópica da Marinha do Brasil, encerrou suas atividades com a aula inaugural da primeira turma daquele laboratório, ministrada pelo ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes.

A convite das VCB, o ministro deu início às atividades do Laboratório de Robótica e Tecnologia Include, do Instituto Campus Party do Guará, montado pelo Comando do 7; Distrito Naval e a Sociedade de Amigos da Marinha (Soamar), com o patrocínio do Conselho Nacional do Sesi.

Michelle Bolsonaro, o general Villas Boas mais parlamentares e outras autoridades prestigiaram o evento das VCB, que, nesses quase dois anos, atuaram de forma integrada com a sociedade de Brasília.

Educar, formar e agregar foram as marcas da gestão da professora Ana Beatriz Goldstein. A capacitação para o mercado de trabalho e a formação cultural, sob o viés da solidariedade, aproximou a Família Naval da sociedade de Brasília.

Cerca de 250 pessoas, sendo 40 voluntárias Cisne Branco, vindas da Ecovila Naval, de Águas Claras, Guará e Plano Piloto, dividiram a atenção entre a fala do astronauta/ministro e a simpatia de Michele Bolsonaro, que marcou sua presença de forma simples e solícita ouvindo e observando, com muita atenção, tudo o que acontecia à sua volta.

No Centro-Oeste, foram montados até agora dois laboratórios de tecnologia Include, ambos pelo Comando do 7; Distrito Naval e a Sociedade de Amigos da Marinha, sob a coordenação das VCB. O primeiro foi em Santa Maria pelo projeto Ecovila Naval, e o segundo no Guará. Por iniciativa das Voluntárias Cisne Branco, vão trabalhar a inclusão tecnológica para as pessoas com deficiência, proporcionando-lhes autonomia funcional e qualidade de vida.

Todos ficaram muito emocionados, quando os jovens sem mobilidade nos membros superiores comandaram, com o uso da boca, um equipamento que possibilitou usar o computador para escrever, acender lâmpadas e usar o controle remoto. Alguns, como o jovem Eduardo, dependente de uma servidora civil da Marinha, que não conseguiu usar o equipamento, receberam a notícia de que já está sendo desenvolvida uma placa que ampliará os casos para uso, como o dele.

Michele Bolsonaro, com muita simpatia e carisma, fez questão de ser fotografada ao receber uma camisa das VCB e sentou-se no meio das crianças. Mas, na hora de se pronunciar, falou sério sobre trabalhar políticas públicas para as pessoas com deficiência.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação