Com a Europa no comando

Com a Europa no comando

Convocação coloca em xeque a capacidade dos jogadores em ação na Série A. Dos 23 chamados, só três atuam no país. É a menor "cota" desde a edição de 2007

Marcos Paulo Lima
Marcos Paulo Lima
postado em 18/05/2019 00:00
 (foto: Mauro Pimentel/AFP)
(foto: Mauro Pimentel/AFP)



O Brasileirão será paralisado na nona rodada para a Copa América. Precisava? Dos 23 convocados por Adenor Leonardo Bachi para o torneio continental, de 14 de junho a 7 de julho, apenas três estão empregados no país: o goleiro Cássio e o lateral-direito Fagner ; homens de confiança dele desde os tempos de Corinthians ; e o meia-atacante Everton ;Cebolinha; (Grêmio). Os outros 23 atuam na Europa. Sem querer querendo, Tite pode repetir a fórmula do sucesso de Dunga em 2007. O último título foi conquistado exatamente com três jogadores que estavam em solo tupiniquim. As exceções na época eram o zagueiro Alex Silva e o volante Josué, ambos do São Paulo naquele ano, e o lateral-esquerdo Kléber.

As convocações para as últimas três edições da Copa América indicam o quanto Tite virou as costas para os atletas do futebol brasileiro. Mano Menezes levou sete jogadores da Série A para a edição de 2011, na Argentina. Dunga pinçou cinco em 2015 e nove na versão centenária de 2016. Opções não faltaram em 2019. O atacante Dudu, do Palmeiras, foi eleito o melhor da última Série A. Dedé (Cruzeiro), Rodrigo Caio e Everton Ribeiro (Flamengo), Rodrygo (Santos), Rodrigo Dourado (Internacional) e Pedro Geromel (Grêmio) seriam alternativas também.

A última conquista da Seleção no país faz três anos, a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio-2016. Dos 18 heróis, apenas três participarão da Copa América: o zagueiro Marquinhos e os atacantes Gabriel Jesus e Neymar. Até nomes experientes como o meia Renato Augusto ficaram pelo caminho. A justificativa de Tite estava na ponta da língua na entrevista coletiva realizada na sede da CBF, no Rio. ;(Eu quero) desempenho sempre, sempre. Mesmo que eu tenha que incorrer em riscos;, frisou o treinador.

A montagem do elenco para a caça ao nono título aposta na segurança. São 14 remanescentes da Copa da Rússia. Houve brecha para retorno de Daniel Alves e oito novidades: o lateral Alex Sandro, o zagueiro Éder Militão, os volantes Allan e Arthur, os meias Paquetá e Everton e os atacantes David Neres e Richarlison.

Marcados pelas más exibições no 7 x 1 e na eliminação contra a Bélgica na Copa, Fernandinho é o remanescente mais questionado. Fabinho era o favorito. Está na final da Liga dos Campeões da Europa com o Liverpool. ;O Fernandinho é o mesmo que fez o gol do título da Sub-20 (Mundial em 2003). É um cara muito transparente. Sabe da expectativa, da responsabilidade, do seu futebol, de que tipo de trabalho a comissão técnica tem, do orgulho que ele tem. É pressão estar aqui. ;Ah, mas vai ter risco de crítica?;. Ele está maduro;, defendeu.

A lista dos convocados tem apenas um campeão da Copa América. Daniel Alves faturou o título em 2007, na Venezuela, sob a batuta de Dunga. Fez até um dos gols do título.

Capitão

Dos três estressadinhos na temporada europeia, dois receberam perdão. O capitão e camisa 10 Neymar deu soco na cara de torcedor na decisão da Copa da França. Lucas Paquetá, um tapa na mão do árbitro no Italiano. Douglas Costa cuspiu na cara de um adversário e, mais uma vez, não pintou na lista.

Questionado sobre a anistia a Neymar, Tite admitiu. ;Neymar errou. Por educação, a conversa que eu, enquanto técnico e pessoa, vou ter com ele, por questão de princípios, é pessoal. Primeiro, eu converso com ele. Assim como conversei com o Douglas Costa e vou conversar com o Paquetá. Por questão de conduta e educação;, disse. Neymar não deve continuar com a braçadeira.

Tite ponderou sobre a má fase de Philippe Coutinho. ;Lembro que foi decisivo contra a Argentina, no Mineirão, jogando muito. No jogo que entrou em Porto Alegre contra o Equador, decisivo. Dentro do Brasil, contra o Paraguai, o primeiro gol, decisivo. O primeiro gol na Copa, decisivo. Esse a gente quer porque joga muito;, blindou.

A comissão técnica não para de sofrer perdas. O coordenador de seleções Edu Gaspar trabalhará no Arsenal depois da Copa América. Sylvinho assumirá o Lyon, da França, e tenta convencer o analista de desempenho Fernando Lázaro a ir com ele. Os substitutos ainda não foram anunciados.


Agenda canarinho

; Apresentação
22/5 ; Teresópolis-RJ

; Amistosos

5/6 ; Brasil x Catar (Brasília)
9/6 ; Brasil x Honduras (Porto Alegre)

; Copa América
Fase de grupos
14/6 ; Brasil x Bolívia (São Paulo)
18/6 ; Brasil x Venezuela (Salvador)
22/6 ; Peru x Brasil (São Paulo)


Fala, Tite
;Neymar errou. Por educação, a conversa que eu, enquanto técnico e pessoa, vou ter com ele, por questão de princípios, é pessoal. Primeiro, eu converso com ele. Assim como conversei com o Douglas Costa e vou conversar com o Paquetá;


;(Fernandinho) é um cara muito transparente. Sabe da expectativa, da responsabilidade, o tipo de trabalho que a comissão técnica tem. É pressão estar aqui. ;Ah, mas vai ter risco de crítica?;. Ele está maduro;



Família Adenor
Goleiros: Alisson (Liverpool), Cássio (Corinthians) e Ederson (Manchester City)

Defensores: Alex Sandro (Juventus); Marquinhos, Thiago Silva e Dani Alves (PSG); Éder Militão (Porto), Fagner (Corinthians), Filipe Luís (Atlético de Madrid) e Miranda (Inter de Milão)

Meio-campistas: Allan (Napoli); Philippe Coutinho e Arthur (Barcelona); Casemiro (Real Madrid), Fernandinho (Manchester City) e Lucas Paquetá (Milan)

Atacantes: David Neres (Ajax), Everton (Grêmio), Roberto Firmino (Liverpool), Gabriel Jesus (Manchester City), Neymar (PSG) e Richarlison (Everton)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação