Seminário sobre a reforma

Seminário sobre a reforma

postado em 18/05/2019 00:00


Detalhes sobre a reforma da Previdência e as mudanças que têm sido sugeridas no Congresso serão tema do seminário: Por que a reforma é crucial para o futuro do país?, na próxima quarta-feira, na sede do Correio. Organizado com o Estado de Minas, em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e o Sebrae, o evento será transmitido ao vivo pelo site do jornal.

Algumas das maiores autoridades no assunto e parlamentares envolvidos diretamente com a PEC vão explicar o porquê de se fazer uma reforma e quais são os resultados esperados para a economia do país e, como consequência, para a sociedade. Entre os convidados estão o ministro da Economia, Paulo Guedes; o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho; e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Os participantes também vão debater o atraso do país em relação às mudanças nas regras previdenciárias, o que resulta no rombo bilionário no sistema. A diferença entre as receitas e as despesas da Previdência chegou a R$ 288,8 bilhões em 2018 e, pelas estimativas do Ministério da Economia, deve atingir R$ 309,4 bilhões em 2019. Esse valor deixa de ser investido em outras áreas. Só neste ano, o país gastou R$ 750 bilhões com Previdência;.

Outro ponto a ser discutido é a forma como as regras atuais acabam mantendo privilégios nas mãos da parcela mais rica da população. Os brasileiros que conseguem manter empregos formais por mais tempo e, por isso, se aposentam por tempo de contribuição, conseguem deixar de trabalhar, em média, aos 54 anos. ;Os pobres se aposentam por idade. Os homens, em média, se aposentam aos 65,5, e as mulheres, aos 61,5 anos;, comentou o secretário de Previdência, Leonardo Rolim, que falará sobre o assunto no seminário.

Ficha técnica

Seminário: Por que a reforma é crucial
para o futuro do país?
Local: auditório do Correio Braziliense
Data: 22 de maio, das 9h às 13h30

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação