Taiwan legaliza o casamento gay

Taiwan legaliza o casamento gay

A ilha se torna a primeira nação da Ásia a oficializar a união entre homossexuais. Presidente anuncia que "o amor triunfou". Ativistas LGBT celebram avanço

» RODRIGO CRAVEIRO
postado em 18/05/2019 00:00
 (foto: Sam Yeh/AFP)
(foto: Sam Yeh/AFP)


Os gritos se misturaram às lágrimas diante do prédio do Parlamento de Taiwan, por volta das 15h20 (4h20 de ontem em Brasília). ;Nós finalmente podemos nos casar!”, bradou a multidão, estimada em cerca de 40 mil pessoas, no distrito de Zhongshan, centro de Taipé, assim que os congressistas aprovaram, por 66 votos a favor e 27 contra, uma lei que permite a casais do mesmo sexo contraírem ;uniões permanentes exclusivas;, além de uma cláusula para que possam solicitar às agências do governo a expedição do ;registro de matrimônio;. A presidente taiuanesa, Tsai Ing-wen, celebrou o fato de a ilha ter se tornado o primeiro país da Ásia a legalizar o casamento homossexual. ;Em 17 de maio de 2019, em Taiwan, o amor venceu. Nós demos um grande passo rumo à igualdade verdadeira, e fizemos de Taiwan uma nação melhor;, escreveu a mandatária no Twitter. A data escolhida não foi acaso: ontem foi o Dia Internacional contra a Homofobia, a Bifobia e a Transfobia.

A ativista LGBT Jennifer Lu, membro da campanha Coalizão para Igualdade do Casamento em Taiwan, também comemorou o avanço e classificou de ;importante; o momento político do país. ;Durante a nossa campanha, nesses últimos três anos, os opositores usaram vários recursos para manipular o medo das pessoas. Eles utilizaram várias palavras preconceituosas, o que fez com que mais pessoas as repetissem, criando conflitos na sociedade;, afirmou ao Correio. Segundo ela, grande parte da resistência aos homossexuais vem das igrejas protestantes conservadoras.

Morador de Taipé, o artista taiaunês Wu, 33 anos, não se considera um ativista da causa LGBT, apesar de homossexual. Ele disse à reportagem que a decisão do Parlamento representa ;um marco para uma longa história; e citou o controverso referendo de 24 de novembro do ano passado, quando 67% dos moradores da ilha rejeitaram o casamento gay. ;Todo mundo está agradecido pela votação de hoje (ontem). Nós permanecemos sob a chuva por horas e, finalmente, encontramos o sol. Pessoalmente, não tenho planos de me casar tão cedo. No entanto, vejo isso mais como um triunfo simbólico para a comunidade LGBT ;legalizada;, reconhecida pela Justiça;, acrescentou.

Conflito de gerações

Também sob a condição de não ter o sobrenome revelado, o taiuanês David explicou que muitos homossexuais têm sofrido discriminação há décadas. ;Chegou a hora de casarmos legalmente com as pessoas às quais amamos;, comentou, pela internet. De acordo com ele, o referendo de 2018 mostrou que a maioria dos taiuaneses, especialmente aqueles da geração mais antiga, ainda discorda do casamento entre pessoas do mesmo sexo. ;Muitos de meus amigos gays sempre reclamam disso e do fato de terem opiniões divergentes do pais sobre o assunto. Agora, estou realmente orgulhoso por isso (casamento gay) ter se incorporado ao sistema. Estamos protegidos pela lei, e nosso governo nos respeita. A meta a longo prazo deveria ser o compromisso com a diversidade e a inclusão, pois são direitos nossos;, desabafou.

Em 2016, a Corte Constitucional de Taiwan tinha decretado que a lei em vigor ; a qual estabelece o casamento como união entre homem e mulher ; era inconstitucional. Na ocasião, o painel de juízes deu ao Parlamento um prazo de dois anos para emendar ou promulgar nova lei. O prazo expiraria na próxima sexta-feira.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação