Lady Francisco, 84 anos, atriz

Lady Francisco, 84 anos, atriz

postado em 26/05/2019 00:00
 (foto: TV Globo/Divulgação)
(foto: TV Globo/Divulgação)


Uma das divas da dramaturgia brasileira, a atriz Lady Francisco, morreu ontem, aos 84 anos, na UTI do Hospital Unimed Barra, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ela foi hospitalizada no fim de abril depois de quebrar o fêmur durante um passeio com seus dois cachorros no Parque Guinle, onde morava.

A atriz foi operada, mas teve complicações após a cirurgia, precisando ser entubada, sedada e depois submetida a uma traqueostomia. Na noite de sexta-feira, ela teve uma piora no quadro de saúde. Seu último trabalho na tevê foi na novela Malhação: Vidas Brasileiras, em 2018, em que ela interpretou a personagem Lorraine. Lady Francisco deixa dois filhos, o diretor Oscar Francisco, de 53 anos, e a corretora de imóveis Andrea Frank, 54.

A assessoria de comunicação do Hospital Unimed-Rio confirmou o falecimento de Lady Francisco por meio de uma nota divulgada ontem.

;O Hospital Unimed-Rio informa, com pesar, o falecimento de Leyde Cauquer Francisco, às 13h10 deste sábado, por falência de múltiplos órgãos, decorrente de isquemia entero mesentérica (transtorno vascular agudo dos intestinos). Leyde Francisco estava internada no Hospital Unimed-Rio desde 28 de abril;, informou o boletim assinado pelo médico Paulo Henrique Ribeiro Bloise, diretor da unidade.

O velório será realizado hoje, no Teatro Leblon, onde ela ficou em cartaz por oito anos, na sala Fernanda Montenegro, de 10h às 16h. O corpo da veterana dos palcos será cremado amanhã.

Carreira

Leyde Chuquer Volla Borelli Francisco de Bourbon nasceu em Belo Horizonte (MG), onde iniciou a carreira artística no rádio e na tevê. Em 1972, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde estreou na televisão e no cinema. A primeira novela foi Jerônimo ; o Herói do Sertão (1972), na extinta TV Tupi.

Lady Francisco atuou em momentos marcantes da TV Globo, como nas novelas A Escrava Isaura (1976), de Gilberto Braga; Marrom Glacê (1979), de Cassiano Gabus Mendes; e Baila Comigo (1981), de Manoel Carlos. Um dos papéis de maior sucesso foi como Gisela, em Louco Amor (1983), de Gilberto Braga, em que fez dobradinha com José Lewgoy. Os trabalhos mais recentes na Globo foram em Cheias de Charme (2012), em Saramandaia e Louco por Elas, em 2013 e em Totalmente Demais (2015).

No cinema, onde estreou nos anos 1970, as participações de maior destaque foram em O crime do Zé Bigorna (1977), de Anselmo Duarte; Lúcio Flávio ; o Passageiro da Agonia (1977), de Hector Babenco; e Profissão: mulher (1982), de Claudio Cunha, em que viveu uma carente e complexada solteirona.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação