Guerra de narrativas

Guerra de narrativas

postado em 24/06/2019 00:00
Enquanto a defesa do ex-presidente Lula sustenta que as conversas reveladas entre Moro e os procuradores, e o fato dele ter aceitado o cargo de ministro da Justiça, são provas mais que suficientes para provar sua parcialidade, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, tem visão divergente. Em manifestação enviada ao Supremo, Dodge afirma que não é possível atestar a veracidade das mensagens e aponta que foram obtidas por meio de vazamentos. ;Todavia, há fundadas dúvidas jurídicas sobre os fatos nos quais se ampara a alegação de suspeição feita neste pedido de habeas corpus. É que o material publicado pelo site The Intercept Brasil, a que se refere a petição feita pela defesa do paciente, ainda não foi apresentado às autoridades públicas para que sua integridade seja aferida;, afirmou Dodge.

Dodge destaca que a Polícia Federal está investigando a dinâmica dos vazamentos, e demonstra preocupação com a interceptação das mensagens. ;Por fim, a procuradora-geral da República manifesta preocupação com a circunstância de que as supostas mensagens divulgadas pelo site The Intercept Brasil tenham sido obtidas de maneira criminosa, e que ferem a garantia constitucional à privacidade das comunicações, a caracterizar grave atentado às autoridades constituídas brasileiras. Requisitei inquérito policial para investigar este fato e determinei providências administrativas no âmbito do MPF sobre o tema.; (RS)


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação