Juros altos em debate no Correio

Juros altos em debate no Correio

postado em 26/07/2019 00:00

Muita gente se pergunta por que os juros são tão altos no Brasil. Para esmiuçar esse assunto e discutir formas de baratear o custo do dinheiro, o Correio realizará, em 6 de agosto, das 9h às 14h, debate com alguns dos maiores especialistas no tema. Há a convicção de que as taxas cobradas em empréstimos podem baixar, desde que alguns entraves sejam removidos.

O primeiro painel tratará da concentração bancária. Pelos dados do Banco Central, os cinco maiores bancos do país detêm mais de 80% do mercado de crédito. Na segunda parte do debate, os painelistas vão mostrar o que é mito e o que é verdade na formação do custo do dinheiro.

O terceiro e último painel falará sobre cidadania financeira. É urgente a necessidade de os brasileiros aprenderem a lidar com o dinheiro. Para participar do Correio Debate ; Como fazer os juros caírem no Brasil, basta se inscrever, gratuitamente, pelo site: correiobraziliense.com.br/correiodebate/juros. As vagas são limitadas.


  • Programação
    Veja quem participará do seminário promovido pelo Correio em 6 de agosto

    Abertura
    ; Banco Central (a confirmar)

    1; Painel: Concentração e Competição, como ampliar a oferta de crédito a um custo menor
    ; Alexandre Barreto de Souza, presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade)
    ; Angelo José Alverne Duarte, chefe do Departamento de Competição e de Estrutura do Mercado Financeiro do BC
    ; Gesner Oliveira, economista e ex-presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade)

    2; Painel: Quanto custa o dinheiro. Mitos e verdades
    ; Ana Carla Abrão, economista e sócia da Consultoria Oliver Wyman
    ; Gustavo Loyola, ex-presidente do Banco Central
    ; Maílson da Nóbrega, ex-ministro da Fazenda

    3; Painel: Cidadania financeira, a importância da educação
    ; Mara Luquet, jornalista especializada em financias pessoais, diretora da Letras e Lucros
    ; Maurício Moura, diretor de Relacionamento, Cidadania e Supervisão de Conduta do BC
    ; Ricardo Rocha, professor do Insper

    Encerramento
    ; Murilo Portugal, presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação