Receptador de celulares é preso

Receptador de celulares é preso

Criminoso oferecia aparelhos furtados em sites de compra e venda. Delegado destaca a importância de as vítimas registrarem o boletim de ocorrência para que investigações possam chegar aos bandidos

» ALAN RIOS
postado em 26/07/2019 00:00
 (foto: Alan Rios/CB/D.A Press)
(foto: Alan Rios/CB/D.A Press)

;Há uma indústria no DF e nas grandes capitais envolvendo roubos de celulares;, afirmou o delegado Pedro Koenigsdorf, da 1; Delegacia de Polícia (Asa Sul). Quem movimenta esse sistema está na mira de agentes da segurança no Distrito Federal, pois o crime engloba assaltos, furtos, receptações, formações de quadrilha e até latrocínios.

O problema é encarado como prioridade na Secretaria de Segurança Pública. Para se ter uma ideia, 60% dos roubos seguidos de morte no DF no ano passado foram motivados pelo roubo de celulares. Em ação recente, na última quarta-feira, a 1; DP prendeu um homem de 24 anos investigado por receptações de aparelhos pela internet e apreendeu um jovem, 17, suspeito de fornecer os produtos, em Ceilândia.

O delegado Pedro Koenigsdorf ressaltou a importância de toda vítima de assaltos e furtos registrar um boletim de ocorrência, para que isso dê início às investigações que ajudem a combater esse tipo de crime. ;Nessa última operação, por exemplo, nós chegamos ao acusado devido a uma ocorrência de roubo de celular em junho. Apuramos o caso procurando pelo produto para chegar aos envolvidos, e encontramos pistas na internet;, comentou.

Os sites de compra e venda são os ambientes mais utilizados para esse tipo de receptação, de acordo com o delegado, pois permitem um anonimato dos criminosos. Tanto que, logo que uma ocorrência é recebida, um dos primeiros passos dos agentes é buscar o produto do crime em sites conhecidos. Nestes ambientes na internet, celulares são vendidos por preços bem abaixo do mercado, geralmente entre R$ 200 e R$ 500.

;Aprofundando a investigação, vimos que esse receptador suspeito é profissional nessa prática, sempre recebendo os celulares produtos de crime e anunciando on-line. Ele não deixou muitos rastros na venda dos aparelhos, mas descobrimos que ele estava vendendo o próprio carro no mesmo site, com mais informações. Assim, chegamos até ele;, explicou Pedro.

No veículo, foram encontrados quatro celulares, três roubados e um furtado, e ainda 86 comprimidos de Rohypnol (remédio tarja preta contra insônia). Enquanto o detido estava prestando depoimento, outro suspeito enviou mensagens a ele para comercializar mais produtos de crime. Os policiais se passaram pelo acusado e encontraram este segundo indivíduo, um jovem que acabou apreendido com mais quatro produtos e conduzido para a Delegacia da Criança e do Adolescente 2 (DCA).

Engrenagem
Para o delegado responsável pelo caso, esses crimes podem parecer pequenos, mas são parte de um grande sistema. ;Os celulares roubados são parte de uma indústria criminosa que é constantemente alimentada, porque o assaltante ou furtador já tem para quem repassar os aparelhos, é uma engrenagem completa;, afirma Koenigsdorf. Além de apreensões como essa tirarem das ruas mais responsáveis por essa indústria, também são importantes para que diminua a sensação de impunidade dos bandidos.

Tráfico
A mesma delegacia realizou, ontem, outra ação que busca combater crimes em regiões administrativas. Após denúncias anônimas e dois meses de investigações, agentes da 1; Delegacia de Polícia prenderam um homem de 29 anos por tráfico de drogas, em Taguatinga. Ele foi detido com grandes quantidades de maconha, cerca de R$ 13 mil em cédulas, cogumelos e outras drogas em comprimidos.

Segundo o delegado João de Ataliba Neto, ele realizava a venda das substâncias em casa e viajaria para a Chapada dos Veadeiros, no estado de Goiás, para se encontrar com usuários. Com o detido, também foram apreendidos sete aparelhos celulares.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação