360 graus

360 graus

Jane Godoy %u2022 janegodoy.df@dabr.com.br
postado em 26/07/2019 00:00
O turismólogo que auxilia o jornalista
jornalista. Turismólogo de graduação e pós-graduado em marketing e comunicação digital. Fez artes cênicas durante o curso de turismo na Universidade de Brasília. Trabalhou como ator em produtoras da cidade. Apaixonado e cheio de vontade de trabalhar com jornalismo, partiu para a TV. ;Até que abri minha produtora, a Z.Com;, conta Daniel Zukko. Essa trajetória tão cheia de opções e escolhas, ousadia, fé e coragem para encarar o que desse e viesse o transformaram no homem dos sete instrumentos, quando o assunto é Brasília, o quanto ama esta cidade e como conduz todo o seu trabalho para divulgá-la, mostrá-la, apresentá-la e curti-la com toda a força de seu trabalho e da sua criatividade. Foi assim que esse ;faz-tudo; da comunicação, Daniel Zukko, brasiliense de nascimento e de coração, começou a definir o seu futuro, conquistando seu espaço, que hoje tem o céu como limite.

#MinhaBrasília ; Entre Asas e Eixos
;Em 2017, já com o #MinhaBrasília no ar, criei a série #MinhaBrasília Entre Asas e Eixos, que deve estrear a terceira temporada no segundo semestre de 2019;, revela. O objetivo da série é falar bem de Brasília, com episódios semanais, que contam a história e as curiosidades da capital e dos principais atrativos da cidade. ;Meio sem querer, lá estava o turismólogo auxiliando o jornalista nos roteiros e tudo o mais;, brinca. Perguntado sobre como denomina o seu trabalho, a resposta foi taxativa: ;É meio piegas, mas é um trabalho de amor. No início, não havia qualquer patrocínio ou parceria ou mesmo a certeza de que duraria algum tempo. O público foi aparecendo e gostando do conteúdo tanto das entrevistas do #MinhaBrasília como das séries paralelas #MinhaBrasília Entre Asas e Eixos e #MinhaBrasilia Embaixo do Bloco, além do livro Cenas Candangas.

Cidade muito amada
;Percebi que, assim como eu, muita gente é apaixonada pela capital. Como os meus, muitos outros projetos defendem a cidade, cada um no seu estilo. Esse movimento, que começou sem uma combinação prévia, hoje toma força, e todos nos ajudamos nessa defesa da cidade. Como jornalista, entendo que meu trabalho é, antes de tudo, contar histórias. É isso que eu faço. No #MinhaBrasilia conto as histórias da cidade, das pessoas da cidade, das relações dos ;forasteiros; com a cidade. Brasília tem uma imagem fragilizada no resto do país por causa da política. No entanto, essa impressão é rasa e nem de longe traduz o que realmente Brasília é. Por isso, resolvi unir a paixão pela profissão e a paixão pela cidade numa coisa só e não me canso de repetir: Brasília é uma cidade espetacular.;

A VW Brasília entra em ação
O #MinhaBrasilia existe desde 2013. ;A ideia era ser apenas um programa de entrevistas com um mote curioso: uma VW Brasília 78, andando por Brasília, falando de Brasília. Desde a estreia, o programa nunca parou de ser publicado, semanalmente, com entrevistas com diversas personalidades, celebridades, artistas e políticos com relevância local ou, na maioria dos casos, nacional (e até internacional). Em 2017, estreou o #MinhaBrasília Entre Asas e Eixos, que conta com 30 episódios em duas temporadas;, contabiliza. ;Com o passar dos anos, percebi que o #MinhaBrasilia é mais que um programa. É, sim, uma plataforma em defesa da cidade (devia ser o turismólogo que habita em mim querendo aparecer). Criar os outros projetos foi quase natural.;

Um equipamento respeitável
;Para o #MinhaBrasília (dentro do carro) são usadas 5 GoPros e um gravador de áudio. Tudo isso é sincronizado para a edição. Para o #MInhaBrasilia Entre Asas e Eixos são usadas, normalmente dois ou três tipos de câmeras diferentes, além dos acessórios (filtros, lentes variadas, estabilizadores de imagem) e um drone que captura imagens em até 500 metros de altura. Todas as imagens são feitas externamente, pela cidade, inclusive as ;cabeças; dos vídeos. Apenas locução e edição são feitas de forma interna, na produtora. O primeiro foi feito com a cantora Ellen Oléria, vencedora do The voice. Minha principal preocupação para esta primeira entrevista é que o convidado fosse natural do DF e de expressão nacional. Deu certo. O segundo foi com o músico Digão, do Raimundos. Deu certo de novo;, empolga-se. Com mais de 4 milhões de visualizações e mais de 100 mil seguidores, o #MinhaBrasilia Entre Asas e Eixos focalizou, na primeira temporada, a catedral. ;O livro Cenas Candangas, com ilustrações sobre o que chamei de Quadrado;s Way of Life, teve a primeira edição esgotada em cinco meses, fora a repercussão;, diz.

2011
Ano em que abriu a produtora Z. Com

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação