Rússia e China criticam EUA

Rússia e China criticam EUA

postado em 21/08/2019 00:00

Moscou e Pequim condenaram, ontem, o primeiro teste dos Estados Unidos de um míssil de médio alcance desde a Guerra Fria, ao mesmo tempo em que denunciaram o risco de uma ;escalada; de tensões militar e de retomada da corrida armamentista. O teste marca o fim do tratado de desarmamento INF, que aboliu o uso pelos EUA e pela Rússia de mísseis terrestres com alcance de 500km a 5.500km, oficialmente suspenso há menos de um mês pelas duas potências rivais.

O teste americano ocorreu com sucesso no domingo, na ilha de San Nicolas (costa da Califórnia), às 14h30 locais (18h30 em Brasília), segundo o Pentágono. O projétil era uma ;variação de um míssil de cruzeiro de ataque terra-terra Tomahawk;. Imagens publicadas pelo Exército americano mostram o míssil disparado a partir de um sistema de lançamento vertical Mark 41. ;Lamentamos tudo isto. O governo dos Estados Unidos toma de maneira flagrante o caminho de uma escalada de tensões militares, mas não cederemos à provocação;, declarou o vice-ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Riabkov.

O governo da China criticou uma ;escalada de confrontos militares que terá graves consequências negativas para a segurança regional e internacional;. Pequim acusou Washington de buscar ;a superioridade militar unilateral;. Rússia e Estados Unidos concretizaram, no começo de agosto, o abandono do tratado sobre armas nucleares de médio alcance (INF), cuja assinatura no período final da Guerra Fria em 1987 acabou com a crise dos mísseis europeus, provocada pelo deslocamento na Europa dos SS-20 soviéticos com ogivas nucleares.

O presidente americano, Donald Trump, criticou o tratado em 1; de fevereiro, e Moscou fez o mesmo no dia seguinte. Os países trocaram acusações de violação do texto. Os americanos questionam especialmente o míssil russo 9M729, que tem alcance, segundo Washington, de 1.500km, o que Moscou nega, insistindo que o novo projétil tem alcance máximo de ;480 km;.

A Rússia denuncia o sistema de defesa antimísseis americano Aegis Ashore, instalado na Polônia e na Romênia. As forças dos Estados Unidos posicionam há muito tempo mísseis de cruzeiro de médio alcance a bordo de navios de guerra, que geralmente são disparados a partir de sistemas Mark 41. A novidade no teste de domingo foi o sistema de lançamento instalado em terra.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação