Toda cadeia tem de ser sustentável

Toda cadeia tem de ser sustentável

postado em 21/08/2019 00:00

Ao analisar os prós e contras do sistema alimentar do Brasil, o professor de saúde global da Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, Boyd Swinburn destaca outro importante desafio para vencer. Além de saudável, o especialista afirma que é necessário que o sistema alimentar do país seja sustentável.

De acordo com Swinburn, toda a cadeia alimentar do Brasil contribui com mais de 50% para as emissões de gases de efeito estufa (GEE). ;Juntos, o desmatamento e a agropecuária, que estão ligados à produção de alimentos, são a maior causa de emissões de gases. Esse é um outro motivo que mostra a necessidade de modificar o sistema;, avalia. Além de emitir GEE, a estrutura atual contribui com a poluição de rios e diminui a biodiversidade.

No entanto, nem tudo é negativo. Ao avaliar o sistema brasileiro, é possível encontrar grandes pontos positivos. Segundo Swinburn, a estrutura gera riquezas para o país, já que há grande capacidade de exportação, além de garantir alimento para 209 milhões de pessoas todos os dias. ;Os sistemas alimentares dos países fornecem uma mistura de questões importantes e muitos nocivas. Para mim, isso é um sinal de que precisamos modificá-los e projetá-los para o século 21;, sustenta.

Reconstrução

A solução passa por uma reconstrução da própria estrutura e também do pensamento da sociedade civil. ;Temos um ambiente obesogênico e que estimula o consumo já que o principal foco é o lucro. Logo, o problema da obesidade não pode ser visto como uma falta de vontade pessoal. É um problema sistêmico e complexo;, explica. A responsabilização, portanto, deve ser mais forte. ;Precisamos encarar esse problema como uma sindemia global;, completa o professor.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação