Groenlândia leva a crise com Dinamarca

Groenlândia leva a crise com Dinamarca

postado em 22/08/2019 00:00
 (foto: Jonathan Nackstrand/AFP)
(foto: Jonathan Nackstrand/AFP)

A falta de interesse da Dinamarca em vender a Groenlândia levou o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a cancelar uma reunião com a primeira-ministra dinamarquesa, Mette Frederiksen, e azedou a relação com a chefe de governo de Copenhague. O encontro estava previsto para ocorrer dentro de duas semanas. No século 18, a Dinamarca colonizou a ilha ; com área de 2 milhões de quilômetros quadrados, abundantes recursos naturais e uma população de quase 57 mil pessoas, a maioria pertencente à comunidade indígena inuit.

A visita do presidente americano à Dinamarca foi simplesmente ;cancelada;, informou à agência France-Presse uma fonte da Casa Branca. A primeira-ministra da Dinamarca não escondeu a decepção, mas negou crise entre Copenhague e Washington. ;Evidentemente, estou contrariada e surpresa com o cancelamento da visita de Estado do presidente americano;, declarou Mette Fredriksen, que classificou a proposta de compra da Groenlândia como ;absurda; e ressaltou que Copenhague não tem o poder de vender a ilha, a qual goza de alto grau de autonomia.

Trump reagiu de forma nada diplomática. ;Acho que o comunicado da primeira-ministra é nojento;, criticou o mandatário. ;Ela poderia ter dito: ;não, preferimos não vender;, opinou Trump. ;Ela não está falando comigo, ela está falando com os Estados Unidos da América.;

Os políticos dinamarqueses manifestaram espanto com a decisão do presidente americano. ;A realidade transcende a ficção, este homem é imprevisível;, tuitou Martin ;stergaard, líder da esquerda radical, que integra a maioria parlamentar. ;Sem nenhuma razão, Trump considera que uma parte (autônoma) do nosso país está à venda. Depois cancela de maneira insultante uma visita que todos estavam preparando. Há alguma parte dos Estados Unidos à venda? O Alasca?;, reagiu indignado, no Twitter, o líder conservador Rasmus Jarlov. ;Por favor, mais respeito;, completou.

;A Dinamarca é um país muito especial, mas, baseado nos comentários da primeira-ministra Mette Frederiksen sobre o fato de não ter nenhum interesse em discutir a venda da Groenlândia, adiarei para outro momento nossa reunião prevista para dentro de duas semanas;, tuitou Trump. ;A primeira-ministra foi capaz de poupar um grande volume de gastos e esforços, tanto dos Estados Unidos quanto da Dinamarca, ao ser tão direta.; Magnata do setor imobiliário, Trump sentiu curiosidade pelos recursos naturais e pela relevância geopolítica da área, segundo o Wall Street Journal.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação