O poder da dança

O poder da dança

Festival Quando as ruas chamam reúne mais de 200 dançarinos para as finais nacionais de dança

Lucas Batista*
postado em 23/08/2019 00:00
 (foto: The SARARA/Divulgação)
(foto: The SARARA/Divulgação)
O festival de breaking Quando as ruas chamam chega à quinta edição neste fim de semana, em Ceilândia. O duas vezes campeão do prêmio de Breaking Latino Americano como melhor evento é sede das finais do concurso nacional de dança de rua, com cerca de 200 participantes classificados por seletivas em seis estados. Os dançarinos concorrem em nove modalidades, e os vencedores levam prêmios de R$ 10 mil.

Segundo o fundador, Alan Jhone, a festividade surgiu da falta de competições de danças de rua no Distrito Federal. ;Quem era de Brasília tinha que se deslocar e ir para outros estados para poder competir. Faltava, de fato, uma plataforma para a galera do nosso segmento;, explica. Com entradas gratuitas, o evento conta com grande apoio popular, chegando a contabilizar mil pessoas por dia, nas edições anteriores.

Morador de Sobradinho II e dançarino há 20 anos, o Bboy Luiz Fernando, 27, que já participou de competições em São Paulo, no Rio de Janeiro e na França, disputa pela quarta vez no Quando as ruas chamam. Para ele, o festival impacta a cultura da cidade: ;É um evento extremamente importante para a cultura hip-hop, o nível é alto, e o dançarino se sente valorizado. Muitos sonham em participar, mas não conseguem, porque a maioria que dos que competem já se destacam na cena. São dançarinos profissionais;.

De acordo com o idealizador, os artistas que conseguem chegar às finais do festival alcançam novos patamares nas carreiras. ;O projeto funciona como uma catapulta. Os dançarinos que competem acabam ganhando projeção e recebendo convites para participar de outras plataformas, de outros festivais;. Além da competição, o evento também traz workshops de grafite e breaking e exposições, com destaque para a Jackart ; A time to speak de Wagner Wagz, de jaquetas grafitadas, novidade no festival.

*Estagiário sob a supervisão de Igor Silveira

SERVIÇO
Festival nacional de breaking Quando as ruas chamam
Sesc Ceilândia (QNN 27, AE, Lt B, Ceilândia Norte). Hoje, a partir das 14h30. Amanhã e domingo, a partir das 13h. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

Festa em Gana
O vencedor do The voice kids 2019, Jeremias Maia, se apresenta neste domingo na Residência Oficial da Embaixada de Gana. Será uma tarde especial de troca de experiências entre as mais de 60 crianças e adolescentes do Coletivo da Cidade, da Estrutural, com a embaixadora Abena Busia. É a segunda vez que a embaixadora do país africano promove encontro com jovens da comunidade.

Uma tarde em Gana
Residência Oficial da Embaixada de Gana (SHIS, QI 13, Cj 9, C.22, Lago Sul). Domingo, a partir das 12h. Entrada franca. A doação de 1kg de alimento (exceto sal) dá direito a participar de sorteio de prêmios ofertados pelos stands da feira de moda e artesanato. Classificação indicativa livre.

Cultura candanga
A Casa de Cultura do Guará recebe, neste domingo, primeira Mostra de cultura candaga. A mostra leva ao público a arte do Boi do Seu Teodoro, da capoeira do Centro Cultural Grito de Liberdade, do Grupo Cultural Pé de Cerrado com participação do Circo Teatro Artetude e de Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro. O objetivo é de ressaltar que o Distrito Federal tem cultura própria e que as influências de todas as regiões do Brasil servem para enriquecer o cenário cultural local.

I Mostra de Cultura Candanga
Casa de cultura do Guará (Guará II, QE. 25). Domingo, a partir das 17h. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação