Acordo militar rompido

Acordo militar rompido

postado em 23/08/2019 00:00
 (foto: AFP)
(foto: AFP)

O governo norte-americano reagiu ontem com preocupação à decisão da Coreia do Sul de romper um acordo de cooperação com o Japão no terreno da inteligência militar, em meio a uma escalada de tensão diplomática e comercial entre os dois países, ambos aliados de Washington. A coordenação entre Seul e Tóquio é peça-chave da estratégia dos Estados Unidos para conter as ambições nucleares da Coreia do Norte e a expansão militar da China, na estratégica região do Pacífico ; identificada como prioritária para a segurança nacional dos EUA.

;Decidimos colocar um ponto final no acordo GSOMIA;, anunciou o diretor-adjunto do Escritrório de Segurança Nacional da Presidência sul-coreana, Kim You-geun, mencionando a sigla do mecanismo de cooperação firmado entre os dois países em novembro de 2016, com apoio de Washington. ;Avisaremos o governo japonês por meio de um telegrama diplomático;, completou Kim.

O funcionário sul-coreano apresentou a medida como resposta à iniciativa ;injustificada; do Japão de retirar a Coreia do Sul de uma lista de parceiros preferenciais de comércio exterior, no início do mês. O governo de Tóquio alegou ;razões de segurança; e a ;perda de confiança; no país vizinho, ;sem apoiar essas afirmações em nenhuma prova concreta;, de acordo com Kim.

O chanceler japonês, Taro Kono, reagiu ao anúncio horas depois e afirmou que seu governo ;rejeita com veemência; a decisão de Seul. ;A decisão do governo sul-coreano de acabar com esse pacto é um grande erro de julgamento da situação da segurança regional, e é algo muito infeliz;, diz um comunicado distribuído à imprensa em Tóquio. ; Não podemos aceitar as alegações e vamos protestar fortemente;, antecipou Kono, depois de informar que o embaixador sul-coreano foi convocado a prestar explicações.

Em Washington, o porta-voz do Departamento de Estado, coronel Dave Eastburn, expressou a ;grande preocupação e desapontamento; do governo americano com a crise entre os aliados asiáticos. ;Estamos totalmente convencidos de que a integridade da nossa defesa mútua e dos nossos laços de segurança devem se manter, apesar do atrito em outras áreas das relações entre Coreia do Sul e Japão;, afirmou, por meio de comunicado. ;Manteremos a cooperação bilateral e trilateral em assuntos de defesa com Japão e Coreia do Sul até quando isso for possível.;

Firmado em novembro de 2016, o Acordo de Segurança Geral de Informação Militar (GSOMIA, na sigla em inglês) foi uma resposta aos testes de armas nucleares e mísseis promovidos pela Coreia do Norte. Desde então, o tratado tem sido renovado anualmente.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação