Cotidiano do amor

Cotidiano do amor

ROBERTA PINHEIRO
Roberta Pinheiro
postado em 23/08/2019 00:00
 (foto: T. Melcop/Divulgação)
(foto: T. Melcop/Divulgação)

No palco, pequenos baús se transformam em mesas, cadeiras e cenário de uma história focada, principalmente, na valorização da relação de amor independente de gênero e de idade. Com suas mãos, os atores manipuladores Katiane Negrão e Dico Ferreira interpretam duas velhas que moram juntas. O texto verbalizado dá lugar aos sons da cena, ao movimento do corpo e abre a dramaturgia para interpretação do público. Tropeço, da companhia curitibana Tato Criação Cênica, dá vida ao simples para falar do que é humano e singelo.

Desde 2004, seu ano de estreia, o espetáculo percorreu várias cidades do Brasil e do mundo. Contudo, nunca se fez tão necessário. ;As relações de amor e de afeto estão abaladas até dentro de nossas próprias famílias. Isso é muito forte. Além disso, o preconceito ficou escancarado;, comenta Katiane. A peça Tropeço, em cartaz no Teatro de Bolso Robson Graia do Espaço Cultural Renato Russo, propõe o afeto e um outro olhar sobre a velhice. ;Temos uma visão de que na velhice a gente para tudo, mas não é isso, somos, simplesmente, nós. Falamos de amor, do divertimento, das lembranças e das pequenas relações do cotidiano;, adianta a atriz e uma das diretoras do grupo. Apesar de um caminho cômico, o final da peça sensibiliza o público com um tropeço.

SERVIÇO
Tropeço
Da Tato Criação Cênica. Hoje e amanhã às 19h, e domingo às 18h, no Teatro de Bolso Robson Graia no Espaço Cultural Renato Russo. Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação