Preso suspeito de matar professor

Preso suspeito de matar professor

PMs de Goiás localizam, a 300km de Brasília, o jovem de 18 anos acusado de assassinar educador de Águas Lindas. Detenção ocorre no mesmo dia do sepultamento da vítima

» CAROLINE CINTRA » JÉSSICA EUFRÁSIO » isa stacciarini
postado em 01/09/2019 00:00
 (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press)


Policiais militares prenderam ontem, em Posse, município goiano distante 300km de Brasília, o acusado de matar à facada o professor Bruno Pires de Oliveira, 41 anos. Anderson da Silva Leite Monteiro, 18, era procurado desde sexta-feira, dia do assassinato do educador, um dos coordenadores do Colégio Estadual Machado de Assis (Cema), em Águas Lindas. A prisão ocorreu no mesmo dia do enterro da vítima, no Cemitério de Taguatinga.

Em nota, a PM de Goiás informou que os militares encontraram o jovem durante uma operação especial em cumprimento de determinação do governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM). Durante a prisão, Anderson confessou o crime e informou aos militares que jogou a faca usada para matar o professor no lote em frente a escola de Águas Lindas. A arma havia sido apreendida pela Polícia Civil no mesmo local. O jovem também admitiu que fugiu para escapar do flagrante.

Também ontem, a Justiça goiana havia emitido um mandado de prisão preventiva contra Anderson, solicitada por Cleber Junio Martins, delegado do Grupo de Investigação de Homicídios (GIH) da Polícia Civil de Goiás. Desde sexta-feira à tarde, equipes das polícias Civil e Militar de Goiás estavam à procura do estudante.

O crime ocorreu no fim do período matutino. No momento em que Bruno se preparava para deixar o Cema, Anderson o esfaqueou e fugiu. O suspeito estudava no 9; ano da instituição de ensino e teria conseguido a arma na escola. A vítima chegou a ser atendida pelo Samu e levada para o Hospital Municipal de Águas Lindas, mas não resistiu. Testemunhas relataram que Anderson teria matado Bruno por acreditar que ele teria sido o responsável pelo desligamento do estudante do programa Mais Educação ; a iniciativa promove atividades esportivas para alunos do 6; e do 7; ano.

No entanto, segundo os investigadores, a vítima não estava à frente dessa decisão. A medida teria decorrido de um laudo médico apresentado à instituição de ensino, informando que Anderson seria cardiopata; por isso, não poderia praticar esportes. O caso é investigado como homicídio qualificado por motivo fútil. A pena varia de 12 a 30 anos de prisão.

Despedida

Na tarde de ontem, cerca de 500 pessoas passaram pelo Cemitério de Taguatinga para se despedir do professor Bruno. Em clima de comoção, estudantes, amigos e parentes lamentaram a perda e cobraram justiça. ;Para nós, foi uma surpresa muito grande, principalmente por envolver um aluno. Ficamos muito sentidos com uma situação dessas. A insegurança nas escolas estaduais é um ponto crítico. Fica o alerta para o estado, para que olhe com mais atenção para os profissionais da educação;, cobrou Elivaldo Carvalho, 56, professor de português e inglês no Cema.

Estudante do 8; ano do ensino fundamental, Karla Ester Ferreira, 16, considerava o coordenador de ensino como um pai. ;Não tenho nem palavras para descrever o que sinto. Ele era um amigo, um irmão que sempre dava colo e sempre estava lá por nós, independentemente de quem fosse. O Bruno fez o papel de pai que eu não tive. Nunca vou esquecê-lo. E vou fazer de tudo para dar muito orgulho para ele;, disse a jovem.

Os cerca de 1,2 mil estudantes do Colégio Estadual Machado de Assis (Cema), em Águas Lindas, ficarão sem aulas durante toda a semana devido ao assassinato de Bruno. As demais escolas públicas do município goiano distante 50km de Brasília não terão expediente amanhã devido ao luto de três dias anunciado pela Coordenação Regional de Ensino da cidade.

Coordenador regional de ensino de Águas Lindas, Kris Cleyton Leite afirmou que, durante a semana, toda a comunidade escolar passará por um trabalho de acolhimento para lidar com o trauma. ;Equipes de saúde com foco no servidor (público) vieram de Goiânia para prestar toda a assistência, com psicólogos, assistentes sociais e psicopedagogos, primordialmente na unidade escolar (Cema);, afirmou.

Kris acrescentou que a coordenação levará adiante um protocolo de segurança desenvolvido na semana passada pela Secretaria de Educação de Goiás (Seduc) e voltado para as instituições de ensino vulneráveis. Questionado sobre a eficácia do modelo de gestão militarizada adotado em escolas goianas, o coordenador comentou que essa não é uma ;fórmula mágica; para resolver os problemas. ;Existe uma questão de cidadania e respeito com o profissional, o professor. É isso o que falta. E é algo que começa no seio familiar. Precisamos resgatar esse sentimento na população em geral;, destacou.

Em visita à Coordenação Regional de Educação de Águas Lindas ontem, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), decretou luto oficial de cinco dias no Cema. Antes da detenção de Anderson, Caiado disse: ;Esse jovem vai ser preso e punido. Não existe mais crime impune no estado de Goiás. Essa é a realidade;.


Ato pela paz

Diretores e professores de escolas públicas de Águas Lindas organizam uma passeata contra a violência dentro dos colégios marcada para amanhã, mas a manifestação ainda não tem horário definido. ;Vamos sair da frente do Cema e caminhar pelas ruas com cartazes e carro de som. Chega desse tipo de situação nas instituições de ensino. Precisamos dar um basta nisso;, destacou a professora Adriana Silva Lima. Para ela, a perda do professor é ;irreparável;. ;Era uma pessoa maravilhosa, carismática. Um grande companheiro de trabalho. Um homem trabalhador que não faltava por nada. Ele não tinha problemas com ninguém da escola, professor ou aluno. Ainda não sabemos o real motivo (do crime), porque o menino ainda está foragido, mas cremos que o caso será solucionado logo;, disse.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação