FGV abre curso de administração pública

FGV abre curso de administração pública

Esta é a primeira vez que a instituição oferece essa formação em Brasília. Prazo para participar do vestibular vai até 8 de outubro. A formação dura, no mínimo, quatro anos

Daniela Santos*
postado em 01/09/2019 00:00
 (foto: FGV/Divulgação)
(foto: FGV/Divulgação)
A Fundação Getulio Vargas (FGV) está com inscrições abertas para o vestibular da graduação em administração pública. Ao todo, são 150 vagas ofertadas, das quais 50 são para a capital federal. Esta é a primeira vez que o curso será ofertado pela instituição no DF. O processo seletivo também oferece vagas na Escola de Administração de Empresas de São Paulo (EASP). Nada mais natural do que trazer a capacitação a Brasília, que concentra boa parte do funcionalismo do país. ;A administração pública é essencial para todo o funcionamento do governo. E não é relevante só no setor público: todas as relações do governo com a sociedade fazem parte desse ramo;, explica Tássia Cruz, coordenadora da graduação em administração pública da Escola de Políticas Públicas e Governo da FGV.

Ela observa que a área de atuação, para quem se forma, é bastante ampla. Por causa disso, o perfil profissional é mais abrangente. ;Buscamos atrair lideranças sociais, consultores, empreendedores e qualquer pessoa que queira trabalhar com políticas públicas, seja em organizações públicas, seja em particulares;, comenta. ;Trazer esse curso para Brasília era um desejo que existia havia muito tempo, principalmente porque sentíamos falta de um contato maior com os órgãos públicos federais;, afirma Tássia. ;Na graduação em São Paulo, temos um programa de uma semana que permite que os estudantes venham até Brasília conhecer vários desses órgãos. Com esse curso na capital, fica mais fácil fazer o intercâmbio. Também percebemos uma demanda grande dessa graduação. Na EASP recebíamos alunos vindos de Brasília, Goiânia e cidades do Entorno do DF;, completa a coordenadora.

Experiência estudantil
Thaynah Gutierrez, 20 anos, é estudante do sexto semestre da graduação em administração pública da FGV em São Paulo. ;O curso tem aberto muitas portas. Existe a possibilidade de ter contato com diferentes áreas da administração pública, com a academia, com o terceiro setor, tudo isso de forma integrada. Acho que esse intercâmbio é um diferencial muito importante porque faz com que a gente construa uma visão conectada, que é fundamental, hoje;, destaca. Eliana Lins, 25 anos, se formou na área há dois anos pela FGV e, agora, faz mestrado na mesma área na instituição.

Ela trabalha como assistente de pesquisa no Centro de Política e Economia do Setor Público da FGV, com uma plataforma de dados eleitorais, usada principalmente por alunos, professores e pesquisadores da ciência política. Ela conta como a formação contribuiu para a carreira de pesquisadora. ;O curso tem uma ênfase forte em pesquisa, sobretudo de campo, o que ajuda a despertar a vocação das alunas e alunos em pesquisa aplicada. Além disso, todos os projetos de extensão e estágios que realizei ao longo da graduação estavam relacionados a isso de alguma forma;, acrescenta.

Inscreva-se!
As inscrições para o vestibular custam R$ 150 e vão até 8 de outubro. Elas podem ser feitas pelo site www.fgv.br/processoseletivo. A primeira etapa consiste em uma prova objetiva e discursiva, que será aplicada em 1; de dezembro nas cidades de Brasília, Goiânia, São Paulo, Salvador, Londrina (PR), Ribeirão Preto (SP), Campo Grande, São José dos Campos (SP) e Recife. Na parte discursiva, os candidatos responderão a questões sobre geografia e história, farão uma redação em língua portuguesa e um texto dissertativo sobre o Brasil atual. Já a prova objetiva vai abarcar conteúdos de matemática, português ; literatura e interpretação de texto ;, inglês e ciências humanas (história, geografia e atualidades).

Na segunda fase, os candidatos passarão por uma avaliação oral, que ocorre somente em São Paulo e no Distrito Federal, entre 13 e 17 de janeiro de 2020. O resultado final do processo seletivo será divulgado em 23 de janeiro, depois das 18h. Ao todo, são ofertadas 150 vagas, 100 em São Paulo e 50 em Brasília. Além do vestibular, as outras formas de ingresso são pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e por processos seletivos de organizações internacionais. Os requisitos para cada modalidade estão detalhados no edital, disponível na página de processos seletivos da FGV.

O curso é diurno e tem duração mínima de quatro anos. A mensalidade custa R$ 4.890. A instituição oferecerá bolsas de estudo de 100% do valor para o primeiro colocado no processo seletivo e de 50% para o segundo. Também disponibilizará três bolsas integrais para candidatos de baixa renda que tiverem bom desempenho nas provas. Há ainda a possibilidade de o estudante pedir o financiamento de bolsas de estudo, com ressarcimento obrigatório para cobrir o valor da mensalidade, do material escolar, auxílio-moradia e transporte. As condições para a solicitação dessas bolsas estão no edital.

*Estagiária sob supervisão da subeditora Ana Paula Lisboa

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação