Largada para as contratações de fim de ano

Largada para as contratações de fim de ano

A vaga provisória pode ser a chance de entrada ou de reinserção de desempregados no mercado de trabalho. Diversas empresas já estão em busca de mão de obra. A previsão é de que 570 mil oportunidades sejam disponibilizadas até dezembro em todo o país. No Distrito Federal, são 2.822 vagas

Brenda Silva*
postado em 08/09/2019 00:00
 (foto: Divulgação/TAQE)
(foto: Divulgação/TAQE)

A indústria, o comércio e o turismo já estão em contagem regressiva para as festas no fim de ano. Com o aumento da demanda, várias empresas recorrem ao trabalhador temporário. Para muitos, é uma chance de driblar o desemprego, a falta de experiência e, até, quem sabe, conseguir uma vaga definitiva depois da experiência sazonal. A movimentação de contratações a curto prazo, principalmente nos sistemas de produções, começaram em agosto e estão a todo vapor.

Considerando o aquecimento do comércio e da indústria para datas como Dia das Crianças e o Natal, a Associação Brasileira do Trabalho Temporário (Asserttem) prevê a criação de mais de 570 mil oportunidades temporárias até o fim do ano ; no Distrito Federal, a estimativa é de abertura de 2.822 vagas. Em 2018, no mesmo período, foram contabilizados cerca de 500 mil postos nacionalmente. No ano passado, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) calculou a contratação de mais de 72 mil pessoas apenas na área comercial.

Para este ano, a entidade ainda não tem estimativa. A expectativa é de que outubro e dezembro deste ano sejam os meses com maior fartura de chances, devido ao Dia das Crianças e o Natal. Trata-se de contratos temporários baseados na Lei n; 6019/1974, que pode ser utilizada em diversos setores e para qualquer tipo de ocupação. ;Em agosto e setembro, as indústrias começam a contratar. Já em outubro e novembro, é a vez do comércio;, explica Mara Fortes, diretora regional da Asserttem no DF.
As contratações nesses meses são conhecidas como sazonais e há, também, as por substituição de cargos. No último caso, os contratos ocorrem em todo o ano, principalmente quando um funcionário se afasta da função por determinado período, por exemplo, para tirar licença-maternidade. Mara observa que há, ainda, outro motivo para a abertura de vagas a curto prazo. ;Em meio a crise econômica, o número de contratações de temporários aumenta. Isso ocorre porque as empresas ficam receosas e contratam enquanto esperam a reação do mercado.;
Chances abertas
Companhias de diversos ramos se preparam para recrutar temporárias e já há, até, firmas com inscrições abertas. Na empresa de soluções em recursos humanos Luandre, 350 oportunidades vão ser ofertadas, com salários entre R$ 1 mil e R$ 6 mil. A firma estima um crescimento de 30% nas contratações a curto prazo no fim de 2019, comparando com 2018. ;Ao longo do ano, a busca de vagas temporárias é, aproximadamente, de 45% do total das pesquisas no nosso site. No fim, a procura fica maior do que isso porque este período sazonal já é conhecido;, afirma Bárbara Alves, gerente de RH da Luandre.
Em agosto, grande parte das ofertas temporárias foram para a indústria, onde o sistema de produção costuma ser iniciado. ;Esse formato de contratação também possibilita à empresa avaliar o profissional que mais se adéqua ao cargo oferecido a partir do trabalho exercido durante o período de contrato, evitando, assim, turnovers (alta rotatividade de funcionários);, explica Bárbara. A gerente também conta que algumas empresas ;aguardam o aquecimento das vendas para aumentar a equipe e evitar reflexo negativo no atendimento;.

Para o CEO da plataforma de empregos e capacitação TAQE, Renato Dias, as contratações temporárias são significativas para instituições mesmo fora das sazonalidades. ;É interessante que as empresas aproveitem esse movimento para avaliar novos colaboradores. Caso eles se saiam bem, os diretores podem até renovar as equipes;, explica. As empresas atendidas pela TAQE afirmam que 40% dos empregados acabam sendo efetivados e, neste fim de ano, a plataforma prevê a oferta de 500 oportunidades.

Para Renato, as chances também podem beneficiar os desempregados em longo prazo. ;Tenho segurança de que a maioria dos candidatos prefere uma vaga definitiva, mas o contrato temporário acaba sendo uma grande oportunidade para se reinserir ou entrar pela primeira vez no mercado de trabalho;, afirma. Renato compartilha algumas dicas para quem quer ser efetivado: ;É importante que o candidato mostre alto nível de compromisso e engajamento com a empresa, além de manter boa relação com os colegas;.

*Estagiária sob supervisão da subeditora Ana Paula Lisboa

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação