Clima de apreensão

Clima de apreensão

postado em 16/09/2019 00:00
Os mercados internacionais devem abrir a semana bastante apreensivos por conta da expectativa de redução da produção de petróleo pela Arábia Saudita pela metade, após os ataques de drones no fim de semana. Ontem à noite, operadores apontavam alta de até 15% no preço do barril do petróleo nos Estados Unidos.

;O clima no mercado é de nervosismo. Segundo comunicados do país árabe, 1/3 da produção de petróleo deve ser normalizada em breve, lembrando que o ataque paralisou metade da produção saudita, o que representa 5% do total mundial;, destaca André Perfeito, economista-chefe da Necton Investimentos.

Na avaliação dele, a alta do petróleo pode sinalizar aumento das pressões inflacionárias e, assim, limitar o momento de juros baixos nos EUA, criando assim aversão ao risco generalizado. ;Se esse for o caso, veremos quedas na bolsa de maneira difusa e dólar ganhando força contra as demais moedas. No entanto, este efeito de alta no barril deve ser um choque apenas se os ataques forem estancados. Se, por outro lado, a tecnologia de drones alterar o jogo de forças no Oriente Médio, isso pode se tornar mais grave;, reforça Perfeito.

De acordo com o analista, os prognósticos não são favoráveis para a semana após esse ataque. ;A aversão ao risco pode aumentar, mas isso ainda deve ser confirmado ao longo da semana e da reação dos países da região, em especial, o Irã, e, obviamente, os EUA;, completa. (RH)



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação