Grita do consumidor

Grita do consumidor

postado em 16/09/2019 00:00
>> Tim
Cobrança indevida

>> Eugênio César
Sudoeste

O médico Eugênio César Fonteles, 59 anos, recorreu ao Grita do Consumidor depois de fazer inúmeras ligações para o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) da Tim e não conseguir resolver um problema de cobrança indevida. ;Sou cliente cadastrado no plano Tim Família 700, com cinco linhas. Há sete meses, recebo cobranças indevidas em minha conta. Isso porque as ligações entre familiares são gratuitas e não devem ter os minutos contabilizados para o pacote de 700 minutos, contratados para ser utilizados para ligações a outros assinantes da Tim ou de outras operadoras. Infelizmente, todo mês sou obrigado a recorrer ao péssimo atendimento do SAC para que minha fatura seja corrigida. Dessa última vez, enviei reclamação para a operadora com cópia para o Correio e só pagarei a fatura, no valor de R$ 980,54, quando receber as sete últimas contas detalhadas para que eu possa verificar a correção das cobranças efetuadas;, afirma Eugênio.

Resposta da empresa
;O Centro de Relacionamento com o Cliente da Tim entrou em contato com o Sr. Eugênio César Fonteles Cabral e na oportunidade informou ao cliente que foram realizados os ajustes necessários em sua fatura. Na ocasião, também foram prestados os devidos esclarecimentos ao cliente, informando ainda que acompanhará a solicitação até sua completa resolução.;

Comentário do leitor
;A Tim entrou em contato comigo e informou que a minha reclamação procedia. Esclareceram-me que fariam uma averiguação no sistema para verificar o motivo dos constantes erros no processamento da minha fatura. Eles acreditam que as falhas tenham ocorrido porque o plano Família não é mais comercializado. A operadora reconheceu que as minhas últimas sete faturas tinham valores cobrados em excesso. Gentilmente me ofereceram a gratuidade de minha última fatura a título de reparação pelos danos causados. Ficamos então combinados que, tão logo quanto possível, eles viabilizarão a troca do meu plano para evitar novos transtornos, com o que concordei;, conta Eugênio.

>> Walmart
Produto errado

>> Sandra Unger
Asa Norte

A economista Sandra Unger nunca tinha comprado um produto pela internet e se interessou ao ver o hábito compartilhado por toda a família, que nunca havia se queixado de nenhum impasse comercial. Resolveu, então, estrear comprando um netbook pelo site do Walmart. Porém, quando o produto chegou à casa dela, teve uma surpresa. ;Recebi uma caixa contendo a nota fiscal de um netbook, mas dentro continha uma torradeira de pão;, contou a leitora. Por causa do imprevisto, Sandra registrou várias queixas no número de televendas do Walmart, 3003-6000, e esperou estourar todos os prazos que os atendentes davam a ela para trocar o produto. Cansada de esperar, foi ao Procon para denunciar a empresa. O Walmart acabou notificado e resolveu entrar em contato com a leitora para resolver o problema.

Resposta da empresa
;Em resposta à manifestação da senhora Sandra Maria Silva Unger, o Walmart informa que a entrega foi realizada e confirmada com a cliente. O atendimento também foi realizado no Procon. A empresa lamenta os transtornos causados e ressalta que fatos como os relatados não condizem com a rotina da empresa, uma vez que o objetivo da rede é oferecer aos clientes a melhor experiência de compra. Tal manifestação foi de extrema utilidade para a melhoria dos serviços.;

Comentário da consumidora
Foi tudo resolvido. No início, eles falaram que não tinham o produto. Fui até o Procon e eles se comprometeram a devolver. Depois de ser comunicada pela coluna do jornal, a empresa me enviou um documento pelos Correios para eu não precisar pagar nada e, em 15 dias, estava resolvida a troca. Obrigado a todos da equipe do Grita do Consumidor e ao Correio Braziliense.;

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação