Holofotes voltados ao ensino médio

Holofotes voltados ao ensino médio

Especial do Correio mapeará colégios que ministram os anos finais da educação básica. Leitores podem colaborar enviando relatos, fotos, vídeos e áudios

ANA PAULA LISBOA THAYS MARTINS
postado em 19/09/2019 00:00
 (foto: Nícolas Braga/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Nícolas Braga/Esp. CB/D.A Press)


O Correio Braziliense prepara um conteúdo multimídia sobre as unidades de ensino médio do Distrito Federal, com o objetivo de valorizar e estimular a melhoria dessa etapa escolar. Apesar da importância, os anos finais da educação básica no Brasil são os que apresentam pior desempenho acadêmico, maior evasão e distorção idade-série. São problemas de longa data atribuídos a diversas questões, como a falta de identificação dos alunos em relação aos conteúdos. Para abordar a realidade do ensino médio nos diferentes colégios das regiões administrativas do DF é que surge o especial Correio nas Escolas, previsto para ser publicado em 1; de novembro.

A plataforma poderá ajudar a comunidade a conhecer melhor as instituições de ensino, gerar engajamento e incentivar que a população cobre melhorias, especialmente no caso da rede pública. Além de reportagens e dados, parte do projeto será destinada ao conteúdo enviado por leitores. Até porque, para pensar nas escolas que queremos, é preciso conhecer as que já temos.

Chamar a atenção para a etapa final da educação básica é particularmente relevante para fomentar avanços. ;Falta aos formuladores de políticas públicas e à sociedade olhar mais para o ensino médio;, atesta Claudia Costin, fundadora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais (Ceipe), ligado à Fundação Getulio Vargas (FGV).

Instituições em foco
O projeto Correio nas Escolas visitará e traçará o perfil de colégios como o Centro de Ensino Médio (CEM) 2 de Planaltina, que alcançou o melhor desempenho no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2018 em comparação com as outras unidades da Coordenação Regional de Ensino de Planaltina. ;Minha mãe quis que eu viesse para cá porque é considerada uma escola boa;, conta Manoela de Jesus Soares, 16 anos. Mesmo com a reputação positiva, o local tem problemas no dia a dia. ;Estou achando realmente que é uma boa escola, apesar de faltar professor, o que acho que pode dificultar;, pondera a aluna do segundo ano.

Eduardo Henrique Lopes Melo, 16, também procurou o CEM 2 de Planaltina de olho na qualidade do ensino. No entanto, ele sente falta de prática e aprofundamento. ;Acho que poderíamos ser mais levados para o laboratório e para fazer pesquisa;, sugere o estudante do segundo ano.

A diretora da unidade, Sonara Liana Martins Oliveira, reflete sobre os obstáculos. ;Infelizmente, o ensino médio tem um resultado muito ruim. Isso porque nós recebemos o aluno com grande deficit de conteúdo e temos que, além de trabalhar as matérias atuais, sanar essas dificuldades prévias.; Ela acredita que o maior problema seja a falta de requisitos para cursar o ensino médio. ;Tanto é que a maior taxa de reprovação é no primeiro ano. Os alunos chegam e se deparam com 15 componentes curriculares sem ter base para isso;, aponta.

O professor de língua portuguesa do CEM 2 de Planaltina Raimundo Pereira reconhece outros desafios. ;As realidades do Brasil são diversas. A maior dificuldade é a social. Há problemas familiares, socioeconômicos, muitas vezes, até de alimentação. E aí tudo desemboca no ensino médio. E nós temos que buscar soluções.;




Reconhecimento internacional

O projeto Correio nas Escolas, proposto pela jornalista Ana Paula Lisboa, é um dos cinco escolhidos pelo International Center for Journalists (ICFJ), com sede nos Estados Unidos, para receber a bolsa de financiamento News Innovation Grant. O benefício, voltado para projetos de jornalismo de dados, faz parte do programa 2019 News Corp Media Fellowship for Global Journalists, executado em colaboração com o The Wall Street Journal. Antes de receber uma das bolsas, Ana Paula disputou com mais de 600 jornalistas de todo o mundo uma vaga num seminário on-line sobre jornalismo de dados com duração de dois dias.

O treinamento foi oferecido a 50 profissionais de diferentes países. No total, cinco projetos foram escolhidos para receber financiamento, entre os quais o Correio nas Escolas. Durante as oito semanas de implementação da proposta, Ana Paula conta com a mentoria de Amara Aguillar, professora de jornalismo da Escola Annenberg de Comunicação e Jornalismo da Universidade do Sul da Califórnia (USC), nos EUA. Esta não é a primeira vez que a jornalista participa de uma iniciativa do ICFJ: durante um ano, foi bolsista de um programa de desenvolvimento de reportagens sobre primeira infância.




Jornalismo de dados
Modalidade de produção digital de notícias que usa grandes bases de dados para elaborar conteúdo, além de se valer de recursos gráficos e interativos para tornar mais agradável a experiência de visualização do consumidor de notícias.



Quer ver seu colégio no jornal?

Leitores podem contribuir com o especial Correio nas Escolas enviando relatos, fotos, vídeos e áudios sobre colégios que marcaram suas vidas, na posição de alunos, ex-alunos, professores, funcionários, pais ou outros membros da comunidade escolar. Qualquer pessoa pode entrar em contato e enviar material sobre a experiência que teve ou está tendo com unidades de ensino médio de todas as regiões administrativas do DF.

São bem-vindas informações de quem cursou ou cursa o ensino médio em Brasília desde a fundação da cidade, em 1960. É possível mandar conteúdo pelo WhatsApp (61) 99274-4139, pelo e-mail euestudantecb@gmail.com ou publicar posts em modo público nas redes sociais (Facebook, Instagram e Twitter) usando a hashtag #CorreioNasEscolas.

Para áudios ou vídeos pelo WhatsApp, o ideal é que os arquivos tenham, no máximo, três minutos. Fique à vontade para enviar quantos conteúdos quiser. As colaborações dos leitores integrarão plataforma do projeto. Nos conteúdos multimídias, você pode aproveitar para responder às seguintes perguntas, mas fique livre para outros comentários:

Caso seja estudante:
; Como você avalia a escola onde cursa o ensino médio? Quais são os aspectos positivos e negativos?
; Quais características do local são inesquecíveis e você acredita que carregará em suas memórias pelo resto da vida?

Caso já tenha concluído o ensino médio:
; A escola marcou sua vida? Por quê? Você sente saudades dela?
; O que você mais gostava no colégio onde fez o ensino médio? O que poderia ter sido melhor?

Caso seja professor ou funcionário:
; O que faz de uma escola de ensino médio um bom lugar para estudar? Você acredita que o local em que trabalha atende a

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação