Curtas 19

Curtas 19

postado em 05/10/2019 00:00
CRIME DA 113 SUL
Defesa de Adriana pede anulação do júri

A defesa de Adriana Villela entrou com recurso ontem pedindo a anulação do júri popular que condenou a arquiteta a 67 anos e meio de prisão. A petição feita ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) alega que uma das juradas mentiu ao negar ter feito declarações em rede social a respeito de Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, advogado da ré. As ;informações falsas prestadas à Justiça; teriam ocorrido no momento do sorteio dos jurados, quando Kakay comunicou ter sido alvo de fake news por uma das pessoas sorteadas. Na ocasião, a jurada afirmou nunca ter tido redes sociais. Em 22 de outubro de 2018, em uma página pessoal que pertenceria à jurada, uma publicação acusou Kakay de ser o advogado de Adélio Bispo, preso por esfaquear Jair Bolsonaro (PSL), então candidato à presidência da República .


QUALIDADE DE VIDA
BRASÍLIA CAPITAL ATÉ DOMINGO

O brasiliense pode participar, até domingo, da 24; edição do Brasília Capital Fitness (BCF). Para esta edição, no Pavilhão do Parque da Cidade, a proposta é incentivar a prática de atividades físicas e divulgar dicas e informações sobre bem-estar, saúde e longevidade. De acordo com o CEO do Brasília Capital Fitness, Fábio Padilha, ;o evento é o local ideal para mostrar, de forma prática, o que é preciso para ter qualidade de vida;. Além do público que mantém hábitos saudáveis e regulares, o BCF espera pessoas que não fazem parte do universo fitness. ;Cinco por cento da população brasileira pratica atividade física regularmente e 95% é sedentária ou não pratica sempre. Por isso, trouxemos o evento, que busca mostrar os benefícios de ter bons hábitos alimentares e uma rotina de exercícios;, contou Padilha. O evento ocorre das 8h às 21h. Valor do ingresso: R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia-entrada). Inscrições: www.capitalfitnessonline.com.br.


SISTEMA PRISIONAL
AGENTES VOLTAM AO TRABALHO

Em greve desde segunda-feira, agentes de execução penal do Distrito Federal decidiram suspender a paralisação. A decisão foi tomada após assembleia realizada na quinta-feira, em frente ao Palácio do Buriti. Na ocasião, a convite de representantes do governo, o presidente do sindicato da categoria, Paulo Rogério, e mais quatro agentes participaram de uma reunião, na parte da tarde. Os secretários de Segurança e de Economia do DF estavam presentes. Os agentes de execução penal reivindicam garantia do adicional de periculosidade. Por causa da paralisação, as visitas aos presídios do DF chegaram a ser suspensas.


CASO TIMPONI
EXAME INDICA INSANIDADE

Laudos médicos indicam que Paulo Cesar Timponi, 61 anos, acusado de provocar uma batida na Ponte JK que matou três mulheres, em 6 de outubro de 2007, sofre de mal de Alzheimer. Segundo os exames do Instituto de Medicina Legal (IML), a doença teve início em 2014, sete anos após o acidente. Atualmente, encontra-se em estágio grave e irreversível. Cabe à Justiça do DF dar prosseguimento ou não ao julgamento que se arrasta há quase 12 anos. À época, Timponi dirigia um Golf e bateu na traseira do carro em que estavam Antônia Maria de Vasconcelos, Altair Barreto de Paiva e Cíntia dos Santos Sisneiros, além do motorista e marido de Antônia, Luiz Cláudio Vasconcelos. Com o impacto, as mulheres foram arremessadas para fora do veículo e morreram na hora. Timponi fugiu sem prestar socorro. Ele responde por homicídio doloso qualificado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação