O caminho do acesso

O caminho do acesso

O que Gama e Brasiliense podem aprender com os melhores times das Séries C e D? Média de idade dos elencos é parte do sucesso

João Romariz*
postado em 08/10/2019 00:00
 (foto: Ed Alves/CB/DA.Press - 13/4/19

)
(foto: Ed Alves/CB/DA.Press - 13/4/19 )




Classificados para a Série D, mas sem calendário até janeiro, Gama e Brasiliense ; campeão e vice do Candangão, respectivamente ; serão os únicos representantes do Distrito Federal nas divisões nacionais em 2020. O Jacaré vai para a terceira edição consecutiva, enquanto o Gama volta depois de cinco anos longe da cena brasileira. Com o encerramento da temporada do quarto e do terceiro esquadrões, definidos os times que subiram na ;prateleira; nacional, os clubes da capital podem tirar importantes lições para tentar buscar o acesso no ano que vem. Ao menos três fatores comuns ajudaram na caminhada das equipes ascendentes: média de idade dos elencos, a força como mandante e o aproveitamento das categorias de base.

Em uma disputa que reuniu 68 equipes, quatro clubes conquistaram o tão sonhado acesso da quarta para a terceira divisão nacional: Brusque (SC), Manaus (AM), Ituano (SP) e Jacuipense (BA). A baixa média de idade dos jogadores marcou os elencos de todos os classificados para a Série C em 2020.

O campeão Brusque disputou o torneio com média de 25,7 anos. Manaus, vice-campeão, jogou com time mais experiente: 27,5. Ituano e Jacuipense apostaram em peças jovens e conseguiram o acesso com 24,8. ;O planejamento começa no estudo de perfil dos atletas. A juventude é sempre importante, jogadores com fome de bola. Um time só experiente vai sofrer na parte física. E um muito jovem, estará sujeito a jogos em que vai precisar segurar a bola;, disse Vinicius Bergantin, treinador do Ituano.

O Gama foi campeão candango na mesma média de idade do time paulista. O arquirrival Brasiliense acabou eliminado na segunda fase da Série D com um elenco de 29,5 anos de média. A reestruturação do clube de Taguatinga para a próxima temporada, quando completa 20 anos de fundação, passa pelas mãos do técnico Mauro Fernandes. Os zagueiros Lúcio, 41, e Preto Costa, 38, e o meia Almir, 37, mostram a tendência de contratação da gerência do Jacaré de apostar nos medalhões.
;Quando o Brasiliense entrou na linha do projeto de trazer jogadores conhecidos, que estavam no fim da carreira, isso provocou uma queda de rendimento. Nós queremos uma mescla de idade. Não precisamos ter uma média de idade muito avançada se quisermos ter uma equipe competitiva. Temos de diminuir esse número;, acredita Mauro Fernandes.

Torcida
Na Série C de 2019, três times do Nordeste e um do Sul conseguiram a vaga para a segunda divisão. O Náutico bateu o Sampaio Corrêa na grande final e conquistou o primeiro título nacional em 118 anos de história. Confiança, do Sergipe, e o Juventude, do Rio Grande do Sul, completaram a lista de acesso. O que esses times têm em comum? O apoio dos torcedores. Nas quartas de final, fase em que asseguraram a vaga para a Série B, os quatro clubes venceram as partidas como mandante. O campeão Naútico trocou as cadeiras vazias da Arena Pernambuco pelo caldeirão dos Aflitos, onde perdeu apenas uma partida na Série D. O Juventude utiliza o Alfredo Jaconi da maneira correta. Com uma média de 4.167 pessoas, a torcida foi o ponto forte da campanha: apenas uma derrota em 10 partidas como mandante.

Na Série D, o Ituano não perdeu jogando em casa. Foram seis vitórias e apenas uma derrota. Para o técnico Vinícius Bergantin, esse foi um ponto decisivo no acesso. ;Todo clube que quer alçar voos mais altos deve estar com tudo alinhado. Diretoria, comissão técnica, jogadores e torcedores. Nosso lema era jogar bem e deixar nosso máximo tecnicamente em casa. E fora, jogar pelo resultado, tendo de abdicar de jogar bonito para avançar na competição;, contou o treinador, que planeja o elenco para o Campeonato Paulista e a Série C.

Brasiliense e Gama também devem aproveitar o mando de campo se quiserem conquistar algo mais representativo em 2020. Pelo Candangão, o Periquito não perdeu jogando no Bezerrão. Foram sete vitórias e apenas dois empates. O Brasiliense não fez tanto proveito do Serejão. Foram oito vitórias, sete empates e uma derrota nas quatro competições que participou em 2019 ; Série D, Candangão, Copa Verde e Copa do Brasil.




Os melhores da Série D 2019
Brusque (SC)
Média de idade: 25,77
Dos 25 jogadores, dois são da base

Manaus (AM)
Média de idade: 27,56
Dos 23 jogadores, três são da base

Ituano (SP)

Média de idade: 24,84
Dos 18 jogadores, quatro são da base

Jacuipense (BA)

Média de idade: 24,88
Dos 35 jogadores, oito são da base

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação