Lágrimas e lesão nos tatames

Lágrimas e lesão nos tatames

postado em 08/10/2019 00:00




Ketleyn não foi a única representante de Brasília a participar do Grand Slam ontem. O também brasiliense Guilherme Schmidt, 18 anos, que compete na categoria até 81kg, estreou na competição mostrando garra, mas impaciência. Foi derrotado na terceira luta pelo turco Vedat Albayrak e, na repescagem, perdeu para o russo Alan Khubetsov, dando adeus ao sonho de medalha. Após o revés, o jovem não segurou as lágrimas e deixou o tatame em prantos.

Em outro triste episódio do Grand Slam de Brasília, uma das principais judocas do Brasil, a gaúcha Mayra Aguiar, 28 anos, sofreu uma ruptura parcial do ligamento do joelho esquerdo ainda durante o treinamento. Bicampeã mundial e duas vezes medalhista olímpica, a atleta não precisará passar por cirurgia, mas está fora do torneio na capital do país.



;Estou muito feliz pela conquista na minha terrinha, na cidade de coração, em um evento tão importante, que soma pontos para quem está nessa caminhada olímpica. A população de Brasília veio apoiar em peso em plena segunda-feira;
Ketleyn Quadros, judoca



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação