A nova geração do sertanejo

A nova geração do sertanejo

Ritmo que domina as paradas musicais no Brasil abre espaço para nova leva de artistas. Conheça nomes de sucesso nacional e veja quem está bombando em Brasília

Adriana Izel
postado em 08/10/2019 00:00
 (foto: Sony Music/Divulgação)
(foto: Sony Music/Divulgação)
De tempos em tempos, a música sertaneja passa por uma renovação. O gênero incorpora novas sonoridades, influências e mensagens, normalmente abraçadas por uma nova geração. Como aconteceu em outras oportunidades, esse é um momento em que o estilo musical está repleto de novos artistas. O Correio apresenta alguns dos novos nomes que têm feito sucesso no âmbito nacional e também aqueles que estão dando os primeiros passos na carreira em Brasília. Confira!



Yasmin Santos
1Apontada como a ;nova Marília Mendonça;, a cantora e compositora Yasmin Santos, 21 anos, chamou a atenção assim que lançou no ano passado a música Saudade nível hard, canção com mais de 53 milhões de visualizações no YouTube. A partir daí, a paulista começou a galgar espaço na música sertaneja com uma voz potente e composições ao melhor estilo sofrência. ;Minha paixão (pela música) começou aos 7 anos, por conta dos instrumentos (musicais). Comecei a aprender violão, bateria, guitarra e percussão. Com 14 anos, escrevi a minha primeira música;, lembra a paulista.
Neste ano, ela gravou o primeiro DVD da carreira no Coração Sertanejo em São Paulo. O material é o ponto de partida para que o público conheça mais de Yasmin, que, está no topo das paradas com o primeiro single do material, Para, pensa e volta, gravado em parceria com Marília Mendonça ; a música é a quarta colocada no ranking da Crowley, atrás de Milu (Gusttavo Lima), Ferida curada (Zé Neto & Cristiano) e Quando a bad bater (Luan Santana). ;Gosto de falar de temas da nossa vida mesmo. Procuro letras que falam de paixão, de volta por cima e da sofrência;, revela.
Enquanto o DVD, que tem participação de Wesley Safadão, Gustavo Mioto e Maira & Maraísa não é lançado, Yasmin lançou Esquenta do DVD, com 10 músicas capazes de mostrar o que o público pode esperar do futuro dela no sertanejo. ;Desde Saudade nível hard penso o repertório com muito carinho. Então, procuro trazer isso nos meus trabalhos;, conta. Sobre as influências, ela aponta, principalmente, a rainha da sofrência.



João Gustavo & Murilo
Juntos como dupla desde 2016, João Gustavo & Murilo, de Mato Grosso do Sul, viram o reconhecimento quando lançaram no ano passado Lençol dobrado. O hit atingiu mais de 89 milhões de visualizações no YouTube, garantiu um contrato para os artistas com uma gravadora e um remix da música. ;Não esperávamos que Lençol dobrado ia ter todo esse sucesso. A gente sempre almeja e sonha;, revela João Gustavo.
Aproveitando a boa repercussão da música, que até hoje aparece no top 100 da Crowley, os artistas divulgaram, neste ano, o EP Viciando (Ao vivo). ;A gente tinha uma necessidade de mostrar nossa cara nesse projeto. Foi a necessidade de fazer algo diferente, de mostrar a nossa cara;, afirma João Gustavo.
O disco revela essa similaridade de João Gustavo e Murilo com artistas já consagrados do cenário, como Matheus & Kauan, e a ousadia em apostar num sertanejo com batidas mais eletrônicas, pops e dançantes. ;Lençol dobrado tem uma característica do que a gente faz desde o início. A gente precisava de uma música muito bem produzida, voz e violão com sanfona, mas que tivesse também uma essência do pop, que são as batidas graves;, explica Murilo.



Hugo & Guilherme
Os goianos Hugo & Guilherme estão juntos como dupla desde 2016. No ano passado, eles conquistaram o grande público com lançamento de No Pelo em Campo Grande (Ao vivo), material com 19 músicas, entre elas o hit Namorada reserva. ;Essa música entrou quase no final do disco e acabou se tornando a nossa música de trabalho. Para nossa surpresa, entrou na trilha sonora de A dona do pedaço, e colaborou para uma visibilidade ainda maior. Isso a gente sentiu também nos shows. A galera já sabia cantar antes de a gente ter soltado no YouTube. Namorada reserva foi um presente para a nossa carreira;, avalia Guilherme.
A carreira sertaneja começou depois que eles se conheceram em 2015. ;Canto desde os 7 anos, já participei de duas duplas sertanejas e depois segui carreira solo. Em uma apresentação em Goiânia, conheci o Guilherme que, até então não cantava profissionalmente. A afinidade bateu na hora e a galera achou que a nossa sonoridade combinou. Em 2016, gravamos nosso primeiro álbum, um acústico;, lembra Hugo.



Léo Pain
Vencedor da sétima temporada do The voice Brasil, o sertanejo Léo Pain deu os primeiros passos na música sertaneja após a projeção da competição com a divulgação do material Mesa de bar (Ao vivo). Também em 2019, lançou o primeiro volume de Perdido e apaixonado (Ao vivo em São Paulo), EP de seis faixas que o colocou no topo das paradas, graças ao sucesso da música Perdido e apaixonado, gravada em parceria com o ex-técnico Michel Teló, que está na 30; posição na lista da Crowley.
;Foi um sonho realizado. Sair de Santa Maria (RS) para São Paulo, gravar um DVD e contar com participação de Michel Teló. Foi um grande presente para comemorar a nossa vitória no programa. Nesse álbum, procurei trazer um trabalho mais intimista, para conseguir passar a minha verdade. Fiz todo o processo da escolha do repertório e privilegiei as canções mais românticas;, revela.
Apesar da carreira de Léo Pain ter se tornado pública para o Brasil todo no ano passado, ele começou a cantar com 13 anos. ;Sempre gostei da música sertaneja, mas foi no programa que amadureci e pude aprender muito do que sou hoje;, conta.



Alex Fava
Após se tornar conhecido pelo sertanejo tradicional, o paulista Alex Fava lançou, neste ano, um novo conceito para o estilo: o sertanejo social. Para ele, essa é uma forma de trazer para o ritmo tão popular mensagens mais profundas. Assim surgiu o Projeto Consciência, formado por quatro faixas: Todo mundo tem um anjo, 4 patas, Devolva meu coração e Vô. ;A minha motivação foi a mensagem que eu queria passar, que fosse algo diferente para o meu público e que também tivesse o intuito de mostrar assuntos que, até então, muita gente desconhecia, com o abandono de idosos, abordado em Vô;, conta.
Atualmente, o artista trabalha a música Todo mundo tem um anjo, faixa que presta homenagem às pessoas que ajudam outras, e também já pensa em um projeto mais voltado para o sertanejo romântico e dançante, que o tornou conhecido quando lançou o

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação