Eixo capital

Eixo capital

Ana maria campos/anacampos.df@dabr.com.br
postado em 16/11/2019 00:00
 (foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Ana Rayssa/Esp. CB/D.A Press)

Baixas no Patrimônio Cultural

O bibliotecário Cristian Brayner deixou nesta semana o cargo de subsecretário do Patrimônio Cultural da Secretaria de Cultura e Economia Criativa. Ele foi o primeiro bibliotecário a assumir, durante a gestão do hoje deputado Marcelo Calero no Ministério da Cultura, a função de diretor do Departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB). Chegou ao posto por indicação do presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire. No GDF, ele trombou com o secretário de Cultura, Adão Cândido, que, segundo integrantes da equipe de Ibaneis Rocha, encontrava dificuldades em avançar em projetos de parceria com o governo federal. A diretora da Biblioteca Nacional de Brasília, Marmenha Ribeiro, servidora de carreira do GDF, também foi exonerada.


Aliado de Jungmann substitui

No lugar de Cristian Brayner, assumiu na Subsecretaria de Patrimônio Cultural da Secretaria de Cultura e Economia Demétrio Carneiro da Cunha Oliveira, ligado ao ex-ministro da Defesa Raul Jungmann. Demétrio foi chefe de gabinete de Jugmann na Câmara dos Deputados e presidente do Instituto Pandiá Calógeroas, um instituto de estudos do Ministério da Defesa. Ele foi exonerado em março de 2017, depois que o Correio mostrou o desconforto de militares da área de inteligência do Ministério da Defesa, à época, pela indicação de Demétrio de dois policiais civis, Marcelo de Oliveira Lopes, conhecido como Marcelão, e Welber Lins de Albuquerque, que se envolveram numa guerra entre a deputada Celina Leão (PP-DF) e o então governador Rodrigo Rollemberg (PSB).


Feudo do Cidadania

Entre integrantes da equipe de Ibaneis, há reclamações da atuação do atual secretário de Cultura, Adão Cândido (foto). Essa é vista como uma área que não deslanchou. Mas o titular da pasta está envolvido em um projeto considerado importante: as comemorações do aniversário de 60 anos de Brasília. Por isso, ele deve ser mantido no cargo. Além disso, a Secretaria de Cultura é um feudo do Cidadania, antigo PPS. Na semana passada, com a filiação do ex-secretário de Educação Rafael Parente ao partido, com um projeto de criar uma frente política alternativa no DF, incomodou os aliados do governador Ibaneis Rocha. A direção regional do Cidadania reagiu por meio de nota se dizendo aliada do atual governo do DF.




Investimentos da gestão passada

O ex-diretor-geral da Polícia Civil Eric Seba elogia o trabalho de seu sucessor, Robson Cândido, mas ressalta: ;Se não todas, a grande maioria das viaturas que estão sendo entregues no atual governo foram licitadas no ano passado pela nossa gestão. As entregas estão acontecendo agora, mas elas foram licitadas. Seria impossível fazer a licitação e entrega num período tão curto.; O comentário se deve à entrevista do presidente reeleito do Sindepo-DF, Rafael Sampaio, sobre as melhorias ocorridas no atual governo na estrutura da Polícia Civil do DF. ;Robson está fazendo uma excelente gestão. Desejo que se dê muito bem, mas é importante fazer essas ressalvas;, afirma. Segundo Seba, também houve muito investimento em polícia técnica, reformas de prédios e delegacias, além de contratação de policiais, principalmente delegados.




Com a mão na massa

O administrador do Parque da Cidade, Silvestre Rodrigues, foi visto (e fotografado) cuidando pessoalmente da limpeza das pistas. Para quem frequenta o local, é um exemplo de compromisso com uma das áreas de lazer mais frequentadas do Plano Piloto.



Siga o dinheiro

R$ 165.021,12

É o valor dos salários do governador Ibaneis Rocha (MDB), de janeiro a setembro, segundo registro do portal de transparência do GDF, doados para a Casa do Ceará.


A pergunta que não quer calar;.

A volta do deputado Hermeto (MDB), em conflito com a mulher, numa separação tumultuada, vai atrapalhar os trabalhos da CPI do Feminicídio da Câmara Legislativa?



Só papos



;O Lula não saiu da cadeia inocente, nem inocentado pelos tribunais como eles estão, de novo, enganando e explorando a boa fé da população brasileira. O Lula foi devolvido às ruas porque está pendente um conjunto de recursos;

Ciro Gomes





;A gente não vai fazer o que o Ciro quer: se encolher para ele crescer. Ele que dispute com a gente;

Lula, em conversa ontem com petistas



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação