Promessa de túnel na EPTG

Promessa de túnel na EPTG

Obra que liga a Estrada Parque Taguatinga e a Avenida Elmo Serejo chegou a ser licitada em 2016, mas imbróglio judicial impediu a construção. Expectativa do Executivo é iniciar os trabalhos no início do próximo ano

ALEXANDRE DE PAULA CAROLINE CINTRA
postado em 26/11/2019 00:00
 (foto: Vinícius de Mello/Agencia Brasília
)
(foto: Vinícius de Mello/Agencia Brasília )

Um imbróglio de anos, o túnel ligando a Estrada Parque Taguatinga (EPTG) e a Avenida Elmo Serejo deve sair do papel, segundo o Governo do Distrito Federal (GDF). Durante vistoria na obra do viaduto da EPTG e da Estrada Parque Contorno (EPCT), ontem, o governador em exercício, Paco Britto (Avante), e o secretário de Obras, Izidio Santos, anunciaram que a construção da via subterrânea deve começar no próximo ano. O custo pode ultrapassar R$ 200 milhões.

Para dar início à construção, o GDF aguarda a liberação do Tribunal de Contas do DF (TCDF), que analisa detalhes do caso. A obra chegou a ser licitada, mas enfrentou um processo judicial a partir de 2016, após a terceira colocada na concorrência entrar, à época, com questionamento contra a formação do consórcio vencedor (leia Memória). ;Isso ficou muito tempo na Justiça. O que era questionado foi sanado. Falta apenas a análise do Tribunal de Contas para que liberemos o início das obras. Se a sinalização for positiva, a expectativa é de que comecemos no ano que vem;, afirmou Izidio. ;Era uma briga de muito tempo e que, na Justiça, foi resolvida. Agora, resta esperar essa liberação para dar início logo às obras;, complementou Paco Britto.

A obra é considerada fundamental para desafogar o trânsito na região, sobretudo no trecho que passa pelo centro de Taguatinga. Além disso, a estrutura é uma reivindicação antiga da população. ;Fizemos essa peregrinação por Taguatinga para entregar algumas obras e estar em contato com a população;, explicou Paco.

Viaduto

Representantes do governo participaram de vistoria no viaduto que liga a EPTG e a EPCT, na entrada do centro de Taguatinga, para liberar parcialmente a obra. De acordo com o governador em exercício, os reparos estão 85% concluídos, e a previsão de entrega total é para janeiro de 2020. A construção, iniciada em junho, teve investimento superior a R$ 5,1 milhões e usou 2 mil metros quadrados de concreto, 220 toneladas de aço e 35 funcionários. ;Vamos entregar essa obra para a população até janeiro de 2020. Já tiramos as contenções. O governador Ibaneis Rocha virá inaugurá-la completamente;, adiantou Paco.

As obras fazem parte de demandas da população de Taguatinga. Após a conclusão dos serviços, o viaduto passará a ter 41,80 metros de largura. Ao todo, serão 11 faixas para o tráfego de veículos, sendo cinco no sentido Plano Piloto e quatro, em direção a Taguatinga. Duas faixas centrais, com 4m de largura, serão para a circulação de ônibus. ;A conclusão do alargamento do viaduto desafogará o trânsito para os mais de 135 mil veículos que trafegam diariamente por esse trecho. Esta é apenas uma das obras para melhorar o trânsito de Taguatinga;, ressaltou Izidio Santos. Para o secretário de Governo, José Humberto Pires, a obra ;dará fluidez muito grande para resolver o problema no trânsito do local de forma definitiva;.

Além disso, o governo prepara o alargamento do viaduto no sentido Taguatinga;Ceilândia, entre a Avenida Central e a Avenida Elmo Serejo. ;Vamos abrir naquele viaduto mais uma trincheira, que é para dar acesso a mais uma pista. Vai melhorar muito o fluxo ali;, explicou José Humberto. ;Essas são as principais obras no trânsito em Taguatinga. Quando o governador chegar amanhã (hoje), anunciaremos as novidades de trânsito para a Saída Norte;, ressaltou Paco Britto.

R$ 200 milhões
Valor estimado para a construção de túnel entre a EPTG e a Avenida Elmo Serejo

Memória
Tentativa de embargo
Em 2013, o GDF abriu licitação para a obra do túnel que ligaria a EPTG à Avenida Elmo Serejo. À época, o Executivo local conseguiu R$ 199,9 milhões em recursos da União para a construção. A concorrência foi vencida pelo Consórcio Novo Túnel, composto pelas empresas Trier Engenharia, EPC Projetos, WVG Construções e Infraestrutura e Geosonda, que apresentou o preço mais baixo ; R$ 199,9 milhões. Porém, o Consórcio Taguatinga, formado pela Odebrecht e Serveng-Civilsan, entrou na Justiça e conseguiu liminar para parar o processo. Na segunda instância, a obra foi autorizada, mas houve nova tentativa do consórcio perdedor de embargar a construção, desta vez no TCDF. O caso está nas mãos do conselheiro Manoel de Andrade.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação