Resposta rápida

Resposta rápida

postado em 04/12/2019 00:00
Com o contato direto por aplicativos de mensagem, o tempo de resposta do socorro ficou mais rápido. Moradores explicam que, antes, quando precisavam de ajuda e acionavam o 190, levava-se muito tempo para explicar a localização. Pelas mensagens, é possível compartilhar a localização em tempo real. Foi o que aconteceu com o piscicultor Odaísio da Silva Araújo, 67 anos.

Durante a seca deste ano, um incêndio de grandes proporções atingiu o cerrado próximo à casa dele. As chamas alcançaram a cerca do terreno. ;Eu estava desesperado. Mandei imagens e um áudio do que acontecia, e os policiais direcionaram os bombeiros para me ajudar;, recorda. ;Esse programa mudou tudo.;

Apesar dos avanços, a comunidade rural reclama da insegurança. O produtor Sérgio Bispo, 50, mora em Brazlândia, onde planta tomates, mexericas e pimentões. Ele sofreu três furtos e reclama da falta de rondas ostensivas. ;Levaram uma máquina. Pedi perícia e só apareceram 10 dias depois. Aí, não adiantava mais;, critica. ;A frequência do policiamento é baixa, e os crimes são comuns na nossa região.;

O bombeiro da reserva Pedro Barreto, 61, mora há quase duas décadas na zona rural e também lamenta a falta de policiamento. ;A gente precisa de mais efetivo, porque a área é muito grande.;

Em nota, a PM informou que ;está em andamento curso de formação de novos policiais militares, nos quais serão remanejados PMs para o batalhão rural. Esse curso conta com 750 militares, e o próximo no início do próximo ano.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação