>> Sr. Redator

>> Sr. Redator

Cartas ao Sr. Redator devem ter no máximo 10 linhas e incluir nome e endereço completo, fotocópia de identidade e telefone para contato. E-mail: sredat.df@dabr.com.br

postado em 05/12/2019 00:00
Educação

Mais uma vez o Brasil ficou nas últimas posições na prova internacional do Pisa , realizada com estudantes de vários países. Isso é reflexo da falta de investimento em educação e da falta de valorização do professor , que é a principal ferramenta do ensino . Enquanto os professores não forem valorizados, inclusive e principalmente financeiramente , os resultados do país em educação dificilmente vão ter alguma melhora significativa.
; Washington Luiz Souza Costa Samambaia

; Tragédia exposta no exame do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa): Brasil nas últimas posições entre 79 países. Como, porém, transformar algo que secularmente vem mal-intencionado, sórdido, corrompido?
; Benedito Pereira da Costa,
Asa Norte

Natal

Aplaudo as boas reportagens do Correio Braziliense como A força da solidariedade (4/12, pág. 19). Que tal fazer algo diferente, este ano, no Natal? Sim... Natal... Daqui a pouco ele chega. Que tal ir a uma agência dos Correios e pegar uma das 5 mil cartinhas de crianças pobres e ser o papai ou mamãe Noel delas? Há a informação de que existem pedidos inacreditáveis. Criança pedindo um panetone, uma blusa de frio para a avó... É uma ideia. É só pegar a carta e entregar o presente numa agência dos Correios até amanhã. O Correios se encarrega de fazer a entrega. Na vida, a gente passa por três fases: a primeira, quando acreditamos no Papai Noel; a segunda, quando deixamos de acreditar; e a terceira, quando podemos nos tornar Papai Noel!
; José Ribamar Pinheiro Filho, Asa Norte

Vestimentas

Decisão absurda a do Ministério Público de Goiás impedir 20 candidatos de realizarem a prova para promotor, sob a alegação de que eles trajavam camisetas, bermudas e sandálias, contrários ao que o edital pedia de vestimentas adequadas. Pelo amor de Deus! Salas onde se realizam provas, principalmente para certos cargos difíceis e disputados, embora refrigeradas, se tornam mais quentes com a tensão, o nervosismo dos candidatos preocupados em responder todas as questões, garantir sua vaga. Se a vestimenta de alguém fosse prova de caráter, honestidade, reputação ilibada, a maioria dos políticos do Senado, Câmara, assembleias legislativas e tribunais não teriam os seus nomes citados em casos tão vergonhosos na Lava-Jato nem nas páginas dos jornais.
; Josuelina Carneiro,
Asa Sul

Água

Reportagem veiculada neste jornal (3/2) informa mudanças na metodologia de cálculo das contas de água no DF. A Adasa anuncia que será extinto o sistema atual de consumo mínimo, durante décadas combatido nesta tribuna pelos consumidores, pela injustiça e ilegalidade, sendo rebatidos pela Caesb e pela mesma Adasa, estribadas em decretos que dariam amparo à cobrança. Agora, descobriram a injustiça. Porém, por simples operações aritméticas, com os mesmos dados que apresentam na reportagem, vê-se que, na verdade, o que se encobre é um aumento geral de tarifas, disfarçado sob o manto de fazer justiça social. O grosso da população vai pagar por metro cúbico, mais uma taxa fixa, trocando-se seis por meia-dúzia, em relação ao sistema atual, resultando em contas ainda mais caras, com expressivo aumento de arrecadação da Caesb, o prenúncio de uma privatização.
; Humberto Pellizzaro,
Asa Norte


Transporte

No Sudoeste, bairro do Plano Piloto , considerado de alto nível, apresenta, entre a EPTG e Parque da Cidade, falhas e omissões inadmissíveis. Sem ser exclusividade, os abrigos das paradas de ônibus estão em péssimo estado de apresentação, sujos e abandonados, sem qualquer manutenção.
; Roldão Simas Filho,
Octognal

; O Park Way do Aeroporto, suponho, é considerado um bairro onde não há trabalhadores domésticos nem profissionais autônomos, como jardineiros, diaristas e outros. A falta de transporte público e os raros pontos de ônibus, sujeitando os trabalhadores à expoliação do transporte pirata, explicam o raciocínio inicial. Mas, diferentemente do que devem imaginar as autoridades locais, o bairro tem um grande número de trabalhadores, que sofrem tanto no período das águas quanto no da estiagem e que conseguem obter renda prestando serviço aos proprietários dos imóveis. Ora ficam encharcados pelas chuvas fortes, ora se desidratam sob o sol escaldante. Na Vargem Bonita, há centenas de moradores com menor poder aquisitivo que dependem do transporte coletivo para se locomover no Distrito Federal e sofrem como quaisquer trabalhadores ou proprietários desprovidos de veículo. A situação local choca com a pretensão do governo de estimular o brasiliense a trocar o carro pelo transporte coletivo, pois o que ocorre no Park Way se reproduz em vários bairros da cidade.
; Walquíria Ramos,
Park Way

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação