Inundação e árvores caídas

Inundação e árvores caídas

Temporal na tarde de ontem atingiu diversas regiões do Distrito Federal. Motoristas enfrentaram trânsito congestionado e perigoso. No Hospital Universitário de Brasília, corredores ficaram cheios de água

» Matheus Ferrari » Thiago Cotrim* » Rayssa Brito*
postado em 05/12/2019 00:00
 (foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press)

A forte chuva na tarde de ontem (4) causou transtornos em várias regiões do Distrito Federal. Logo pela manhã, a Defesa Civil emitiu um alerta de estado de atenção com riscos de ventos, alagamentos e queda de árvores que poderiam ocorrer ao longo do dia. No início da tarde, por volta das 14h, o temporal já atingia diferentes localidades do DF. A Asa Norte foi uma das regiões mais afetadas. Entre as Quadras 203 e 403, condutores foram surpreendidos pelas inundações. A água tomou conta das pistas, e alguns precisaram parar com o pisca-alerta ligado para evitar acidentes. Outros motoristas e motociclistas arriscaram passar por cima do canteiro para desviar da área alagada.

A chuva permaneceu intensa durante algumas horas. Às 15h, Eixão e Eixinho, vias de constante movimento, ficaram praticamente parados no sentido Rodoviária do Plano Piloto. A L2, na altura da 603 Norte, também teve congestionamento de veículos e alagamentos. Ainda no Plano P;loto, os Setores Gráfico e Comercial Sul também registraram chuvas fortes, exigindo atenção redobrada no trânsito.

O dilúvio dificultou a vida de quem estava na BR-020, próximo a Sobradinho e Planaltina. Os condutores tiveram que lidar com a baixa visibilidade. Em Valparaíso de Goiás, no Entorno da capital federal, moradores testemunharam chuva de granizo ao longo da tarde.
Quedas
Como alertava a Defesa Civil ainda pela manhã, existia risco de quedas de árvores ao longo do dia por causa das chuvas fortes previstas. Com a tempestade, que começou no início da tarde, o risco se tornou realidade: várias árvores caíram em diferentes locais de Brasília. Na 208/408 Sul, uma árvore de grande porte caiu em cima de veículos. Segundo o Corpo de Bombeiros, ninguém se feriu. Já na 411 Sul, uma árvore de aproximadamente 20 metros caiu e atingiu a fachada de um prédio de três andares. Também houve tombamentos na 107/108 Sul.

Algumas das quedas aconteceram em área verde e, portanto, não interditaram o trânsito nem levaram perigo à população. Bombeiros e agentes da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap) fizeram um trabalho conjunto para normalizar a situação nas regiões afetadas.

Claudia Fioresi é síndica de um prédio na 407 Sul e relata ter dificuldades para entrar em contato com o órgão fiscalizador. ;Desde 2016, faço pedidos ao governo, pela ouvidoria e pelo 162. Eles dizem que repassam pra Novacap e respondem que, em 20 dias, o problema das árvores estará resolvido. No entanto, parece que, quanto mais mexem, mais as árvores enfraquecem.; Ela conta que uma engenheira no prédio constatou a necessidade de poda urgente. ;Protocolamos essa informação, mas o órgão alegou que a vistoria não poderia ser feita por agentes externos;, reclama. Ao Correio, a Novacap afirmou que realiza o ;monitoramento da arborização de Brasília, intervindo sempre que necessário com podas de formação, manutenção e supressão; quando os técnicos detectam qualquer ;risco iminente de queda;.

HUB
Com a chuva intensa, o Hospital Universitário de Brasília (HUB) teve os corredores inundados e os atendimentos, suspensos. Servidores tiveram de limpar as galerias da unidade de saúde, enquanto uma grande quantidade de água descia pelo teto. O autônomo Elinton Oliveira, 47, levou a mãe para fazer exames no local. Os dois foram surpreendidos pelo aviso de que a médica responsável havia suspendido os procedimentos. Segundo Elinton, a situação era caótica. ;O corredor estava totalmente alagado. A secretária tentou pedir socorro, mas ninguém desceu para ajudar. A água começou a entrar no consultório e paralisou o atendimento por cerca de 1h30.;

À reportagem, a direção do HUB informou que foram registrados pontos de alagamento em alguns corredores do Ambulatório 1 e que equipes foram mobilizadas para a limpeza desses espaços. Segundo a pasta, minutos depois do início da chuva, os corredores já estavam secos, e alguns atendimentos sofreram atraso, mas não cancelamentos.

Pedido de poda ou corte de árvores
Ouvidoria do Governo do DF: 156
Ouvidoria da Novacap: (61) 3403-2626

* Estagiários sob supervisão de Marina Mercante

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação