Distritais criam cota para baixa renda em concurso

Distritais criam cota para baixa renda em concurso

Ana maria campos/anacampos.df@dabr.com.br
postado em 13/12/2019 00:00
 (foto: Vinicius Cardoso/Esp. CB/D.A Press - 20/11/19)
(foto: Vinicius Cardoso/Esp. CB/D.A Press - 20/11/19)
Câmara aprova cotas em concurso para baixa renda


Projeto de lei aprovado ontem em primeiro e segundo turnos pela Câmara Legislativa cria uma nova sistemática de cotas nos concursos públicos no DF. De acordo com a proposta, de autoria do líder do governo, Cláudio Abrantes (PDT), 10% das vagas oferecidas nos editais deverão ser preenchidas por pessoas comprovadamente hipossuficientes. São considerados candidatos com essa condição aqueles cuja renda familiar per capita seja de até um salário mínimo e meio e que tenham cursado o ensino médio na rede pública ou na rede privada como bolsistas integrais. A comprovação deverá ocorrer no momento da inscrição, e a falsa declaração implicará eliminação do candidato. ;O concurso público é uma forma democrática de ingresso no mercado de trabalho, e o que queremos é criar oportunidades;, disse Abrantes. O projeto segue agora para sanção ou veto do governador Ibaneis Rocha (MDB).


Empresários debatem com Ibaneis

O governador Ibaneis Rocha (MDB) é o convidado de hoje do almoço oferecido pelo empresário Paulo Octávio, em debate com integrantes da Lide (Grupo de Líderes Empresariais). O tema são os desafios do Governo do Distrito Federal a poucos meses do aniversário de 60 anos de Brasília. Não vai faltar assunto.


Talhada para a magistratura

A juíza Maria Ivatônia Barbosa dos Santos tomou posse ontem como desembargadora do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT). É a primeira magistrada negra a assumir tal cargo no Judiciário local. O presidente do TJDFT, Romão Cícero de Oliveira, fez um discurso carinhoso em homenagem à colega: ;Tenho certeza que a santidade caminha com nossa desembargadora. Uma pessoa pura, perfeita, talhada para a magistratura. Certamente prestará um grande serviço ao Distrito Federal;, ressaltou o desembargador.


Representatividade

Pelo Instagram, o presidente da Associação dos Magistrados do DF (Amagis-DF), Fábio Esteves, escreveu uma mensagem emocionante para a amiga Maria Ivatônia: ;Representatividade? Ah, se importa, e como! Hoje me sinto mais cidadão, me sinto com a crença na democracia, com um pouco mais certeza sobre um Judiciário de
todos e para todos, me sinto mais preto;.


Bia Kicis é expulsa do PSL

A deputada Bia Kicis (DF) usou as redes sociais para comunicar que soube, pela imprensa, da decisão do presidente do PSL, Luciano Bívar, de expulsá-la do partido. A acusação é de infidelidade partidária, uma vez que a parlamentar defende a criação da nova legenda do presidente Jair Bolsonaro, a Aliança pelo Brasil. Bia contou que não foi notificada e, portanto, nenhuma decisão dessa natureza teria validade. ;Não é possível expulsar alguém sem o devido processo legal;, afirma. Para Bia, a medida parece ser uma manobra para evitar que a bancada do PSL derrube a deputada Joice Hasselmann (SP) da liderança
do partido e substituí-la por Eduardo Bolsonaro (SP).


Lealdade

Pelas redes sociais, Bia Kicis disse que não tem dever de fidelidade ao PSL porque não foi eleita pela legenda. A parlamentar chegou ao Congresso pelo PRP, mas, como a sigla não atingiu a cláusula de barreira e foi extinta, ela migrou para o PSL, a convite do presidente Jair Bolsonaro. ;Apesar de não ter dever de fidelidade, sou leal ao partido que me acolheu. Não falo mal do PSL;, afirma Bia. Mas acrescenta: ;Temos visto atos totalitários por parte de alguns integrantes do PSL;.


Parabéns

Sobre a briga com o partido, a deputada Bia Kicis disse, pelo Twitter: ;Nunca recebi tantos parabéns por ter sido expulsa de algo (PSL). Aliás, pensando bem, nunca havia sido expulsa de nada;.



;As plantações (de maconha) são reflexo de um consumo exagerado, fora de controle de drogas nas universidades;

Ministro Abraham Weintraub, em audiência na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, referindo-se à UnB e outras universidades federais



;Esse ministro da ;deseducação; não cansa de falar absurdos? Fez mais
um ataque brutal e absurdamente mentiroso à UnB;

Deputada distrital Arlete Sampaio (PT)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação