Chance remota de sobreviventes

Chance remota de sobreviventes

postado em 13/12/2019 00:00
 (foto: Ho/AFP
)
(foto: Ho/AFP )




Autoridades chilenas não têm a expectativa de encontrar sobreviventes do acidente com o avião militar que desapareceu, no fim da tarde de segunda-feira, com 38 pessoas a bordo, quando voava para a Antártica. Ontem, foi oficialmente confirmado que os pedaços de aeronave encontrados no mar, nas buscas realizadas pela Força Aérea do Chile, com ajuda internacional, eram mesmo do Hércules C-130. Também foram localizados restos mortais na área de busca.

;As condições dos destroços encontrados do avião tornam praticamente impossível que haja sobreviventes;, disse o chefe da Força Aérea do Chile (FACH), Artuno Merino, em entrevista coletiva com o ministro da Defesa, Alberto Espina, na base aérea de Punta Arenas, 3.000 km ao sul de Santiago). Cerca de 15 aviões e cinco embarcações de diferentes tamanhos e nacionalidades participavam da operação de busca da aeronave, uma das mais seguras da Força Aérea do Chile.

A descoberta de pedaços de avião flutuando no mar foi feita pelo navio de bandeira chilena Antarctic Endeavour. Os destroços estavam 30km ao sul da posição do último contato efetuado pela aeronave militar, que perdeu comunicação por rádio exatamente às 18h13 de segunda-feira e foi declarado sinistrado sete horas depois.

O Ministério da Defesa brasileiro, que participa das buscas, informou, por sua vez, que ;o Navio Polar Almirante Maximiano, da Marinha do Brasil, recolheu, por volta das 15h45 de quarta-feira, itens pessoais e destroços compatíveis;. ;As partes do avião e os objetos estavam a aproximadamente 280 milhas náuticas (518 km) de Ushuaia, na Argentina. O navio da Marinha do Brasil permanece na área de busca em ações coordenadas com autoridades chilenas e duas lanchas do navio continuam a recolher destroços;, tuitou o presidente Jair Bolsonaro.

;É lamentável a informação que recebemos da Força Aérea de que encontraram restos humanos das pessoas que estavam a bordo;, disse o intendente da região chilena de Magalhães, José Fernández, em Punta Arenas. A FACH emitiu nota destacando que, ;diante de versões na imprensa e nas redes sociais; sobre a localização de corpos, as informações seriam ;analisadas e divulgadas; depois.

O Hércules C-130, que levava 21 passageiros e 17 tripulantes, decolou às 16h55 de segunda-feira de Punta Arenas, no extremo austral do Chile, rumo à base Eduardo Frei na Antártica. O último contato foi registrado quando a aeronave sobrevoava a passagem de Drake, uma das zonas mais tempestuosas para a navegação, localizada entre o continente sul-americano e a Antártica. A rota náutica marca a união do Oceano Pacífico com o Atlântico. Com cerca de 850km de largura e uma profundidade de entre 3.500 e 4.000 km, tem ventos que podem ultrapassar os 100 km/h.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação