"Sem a cabeça no lugar, eu alopro"

"Sem a cabeça no lugar, eu alopro"

Após comentários ríspidos da véspera, Bolsonaro recebe jornalistas e deseja feliz Natal aos brasileiros, "mesmo sem carne"

postado em 22/12/2019 00:00
 (foto: Isac Nóbrega/PR)
(foto: Isac Nóbrega/PR)


Em uma tentativa de amenizar o clima com a imprensa, após ofender um repórter que acompanha a rotina do Executivo, na sexta-feira, o presidente Jair Bolsonaro convidou jornalistas, ontem, para uma visita ao Palácio da Alvorada. Em um encontro de cerca de duas horas, Bolsonaro disse que se controla ao falar com jornalistas e que a mídia o ;provoca; para ter manchete. Ele disse que reflete sobre algumas declarações e que se arrepende, em alguns casos.

;É igual futebol: ali na frente, de vez em quando, você manda seu colega para a ponta da praia (base da Marinha que teria sido usada como local de tortura na ditadura militar). Depois vai tomar uma tubaína com ele;, afirmou. Na conversa, em tom informal, Bolsonaro estava com a camisa do Flamengo e acompanhou, depois, em família, a final do campeonato Mundial de Clubes.

Questionado sobre a investigação contra o filho, o senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, disse que ;está sendo um abuso; e que, se teve um ;estardalhaço enorme;, pode ter sido por falta de materialidade do processo. ;Todo poder deve ter uma forma de sofrer um controle;, afirmou. ;Se eu não tiver a cabeça no lugar, eu alopro.;

O presidente evitou elevar o tom de voz ; coisa que faz com frequência. Na última sexta-feira, ele se exaltou ao ser indagado por um repórter em frente ao Alvorada. Disse que não podiam fazer suposições sobre Flávio e exemplificou, de forma grosseira: ;Você tem uma cara de homossexual terrível. Mas não posso te acusar de ser homossexual;.

O presidente ainda desejou um feliz Natal aos brasileiros, ;mesmo sem carne para algumas pessoas;. Ao comentar exame de biópsia a que se submeteu, revelou que não tem câncer de pele. Na semana passada, foi o próprio presidente que levantou essa hipótese ao comentar um exame de rotina.

Sobre o partido que tenta construir, o Aliança pelo Brasil, afirmou que não deve estar pronto para as eleições municipais do ano que vem. ;É 1% de chance.; Ao falar sobre a possibilidade de o ministro da Justiça, Sérgio Moro, concorrer à Presidência, em 2022, o presidente respondeu que ;todo mundo fala; sobre ele ;ter muita chance;. ;Agora, tem de perguntar pro Moro se ele quer, ele agora sabe o que é política;, disse.

A respeito da criação de novos tributos, disse que o ministro da Economia, Paulo Guedes, ;é o patrão;, mas que a determinação é não ter novos impostos, apenas substituir os que já existem. E sinalizou que deseja estender a faixa de isenção do Imposto de Renda para R$ 3 mil.

O presidente revelou que considera um bom nome para indicar a uma vaga do Supremo Tribunal Federal (STF) o do atual ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira. Também repetiu que o ministro da Advocacia-Geral da União, Luiz Mendonça, é avaliado para outra vaga. E que pretende indicar um evangélico ao Supremo, dizendo que a ideia surgiu após a Corte decidir criminalizar a homofobia.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação