Gente / Jorge Ismael

Gente / Jorge Ismael

postado em 22/12/2019 00:00
 (foto: Leonardo da Vinci/Divulgação)
(foto: Leonardo da Vinci/Divulgação)

50 anos de história no DF


;A história do Leonardo da Vinci foi construída com o objetivo de ser a escola da vida de milhares de cidadãos brasileiros que, com competência e trabalho, contribuem para o crescimento de nosso país;, diz Jorge Ismael, 71 anos, diretor financeiro e fundador da empresa. O Centro Educacional Leonardo da Vinci iniciou as atividades em 1969, na Avenida W3 Sul, na Quadra 511, com a oferta de cursos preparatórios para exames supletivos e vestibulares. No mesmo ano, a equipe mudou para um prédio mais espaçoso na 505 Sul.

A sede própria na 703 Sul começou a ser construída em 1973 e foi inaugurada em janeiro de 1975. Ismael conta que, com instalações amplas e adequadas, o Leonardo da Vinci passou a oferecer o ensino de segundo grau regular, atual ensino médio, a partir de 1977. Em 1979, as primeiras turmas concluíram o antigo segundo grau. ;Para atender às solicitações da comunidade escolar, o Leonardo da Vinci passou a oferecer também, a partir de 1991, o ensino de primeiro grau, atual ensino fundamental;, complementa.

Com a finalidade de melhorar a qualidade do ensino e dos serviços educacionais, no início de 1995 foi inaugurada a Unidade Norte do Leonardo da Vinci. No segundo semestre de 2001, teve início a construção da Unidade Taguatinga, inaugurada em janeiro de 2003.

Em fevereiro de 2008, o colégio firmou parceria com a Fundação Dom Cabral, entidade educacional considerada a quinta melhor do mundo em educação executiva, com a finalidade de melhorar a sua prática pedagógica, administrativa e financeira. ;Brasília tem escolas para todos os gostos, cada uma com sua proposta e filosofia de trabalho. Acredito que nos diferenciamos em vários aspectos. A escola é bastante exigente. Isso faz com que o estudante se dedique mais e aprenda mais, porém, tudo é feito sem ;massacrá-lo;, proporcionando um clima construtivo por meio de vários projetos que o estimulem a aumentar a eficiência na aprendizagem;, afirma Jorge Ismael.

Segundo o diretor, as expectativas para o próximo ano são positivas. ;Tenho grande esperança, mesmo com toda a crise econômica que se acentuou nos últimos anos e que afetou significativamente as famílias e as escolas;, frisa.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação