Notas...

Notas...

postado em 22/12/2019 00:00
 (foto: Barbara Cabral/ Esp.CB/DA.Press - 16/10/18)
(foto: Barbara Cabral/ Esp.CB/DA.Press - 16/10/18)

Vendas no Natal sobem 5,2%


A expectativa de aumento do volume das vendas de Natal deste ano foi revisada de 4,8% para 5,2%, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismos (CNC). Se confirmada a previsão, o segmento vai ter o maior avanço desde as vendas natalinas de 2012, quando houve alta de 5,0%, próximo ao número de vendas antes do período da recessão. O período do Natal é a data mais positiva para o comércio brasileiro, podendo gerar R$ 36,3 bilhões neste ano. Em 2014, foi registrado o melhor resultado de vendas com a movimentação financeira de R$ 36,5 bilhões.
Além disso, a CNC revisou de 91,4 mil para 91,6 mil a estimativa de contratação de trabalhadores temporários para o período. O segmento de vestuários e calçados continua sendo o de maior oferta em vagas com 62,8 mil oportunidades, seguido dos hiper e supermercados, com 12,5 mil, e das lojas de artigos de uso pessoal e domésticos, com 10,7 mil vagas.



Cresce consumo de energia sem horário de verão


Segundo a Companhia Energética de Basília (CEB), houve crescimento de 7% na utilização de energia elétrica no DF em novembro nos horários de pico, entre 19h e 21h. O período analisado foi o mesmo do ano passado, em que ainda era adotado o horário de verão. Além disso, foi registrado aumento do consumo de energia elétrica em outros momentos do dia. A maior elevação ocorreu a partir das 22h. Em 2017 e 2018, quando ocorreu o último horário de verão, o DF registrou alta de 2,7% no horário de pico.


Aumenta faturamento com turismo

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) avalia que o segmento de turismo movimentou R$ 20,3 bilhões em outubro deste ano, chegando à segunda alta sucessiva no semestre. O valor é 8,4% maior do que o de setembro e 8,1% superior ao de outubro de 2018. Os números são do Índice Cielo de Vendas do Turismo da CNC (ICV-Tur-CNC), estudo feito pela confederação que tem como fundamento as taxas de variação da pesquisa da Cielo. Entre novembro de 2018 e outubro de 2019, as vendas cresceram 1,1% (R$ 224,2 bilhões) ante o período de novembro de 2017 a outubro de 2018 (R$ 222,6 bilhões).

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação