Anticorpo e bactéria têm bons resultados

Anticorpo e bactéria têm bons resultados

postado em 24/12/2019 00:00


Em busca de alternativas mais eficazes para tratar a osteoporose, pesquisadores suecos desenvolveram um anticorpo que bloqueia a substância esclerostina, responsável por retardar a nova formação óssea. O remédio já é usado nos Estados Unidos e rendeu resultados positivos no tratamento da população. ;Com esse novo tratamento, conseguimos oferecer uma proteção significativamente melhor contra fraturas e, assim, ajudar muitos pacientes com osteoporose grave;, afirma Mattias Lorentzon, professor de geriatria do Instituto de Medicina da Sahlgrenska Academy e um dos autores do estudo, publicado no New England Journal of Medicine (NEJM).

Para Fagundes, o medicamento é uma arma importante no tratamento da osteoporose, mas ainda não é a terapia ideal para toda a população idosa. ;O constante avanço na medicina e a busca incansável por novas opções de tratamento são extremamente importantes. O romosozumabe promete agir favorecendo a formação óssea sem ativar vias de reabsorção, como observamos com outras opções de tratamento para osteoporose. Contudo, especialistas devem ficar atentos porque ele é contraindicado para pacientes com história prévia de infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC), uma vez que aumenta o risco cardiovascular;, enfatiza.

Para a médica brasileira, outros tratamentos mais eficazes deverão surgir. ;A osteoporose é uma enfermidade que já tem algumas opções de tratamento. Entre elas, os bifosfonatos, que são os mais utilizados. Ao longo dos anos têm surgido medicações para casos de osteoporose avançada com fratura;, relata.

Probióticos

Além de mais remédios, as bactérias podem ser futuras aliadas à saúde dos ossos. Cientistas suecos mostraram esse efeito em um estudo científico com 90 mulheres com, em média, 76 anos, e que ingeriram probióticos com a bactéria Lactobacillus reuteri 6475. Um ano depois, elas apresentaram menos perda óssea, em comparação às voluntárias que não consumiram o suplemento.

Com base nos dados, os pesquisadores acreditam que os probióticos podem ajudar a prevenir problemas ósseos. ;Hoje, existem medicamentos eficazes administrados para tratar a osteoporose, mas como a fragilidade óssea raramente é detectada antes da primeira fratura, há uma necessidade premente de tratamentos preventivos. Essa pode ser uma opção;, defende Mattias Lorentzon, médico chefe e professor de geriatria da Universidade de Gotemburgo, na Suécia.

Um ano após o término do estudo, foram feitas medições da perda óssea das pernas das participantes com a ajuda de uma tomografia computadorizada. Elas foram comparadas com dados coletados no início do estudo. ;As mulheres que receberam as bactérias haviam perdido apenas metade da massa óssea, em comparação com aquelas que não receberam os micro-organismos;, detalha Anna Nilsson, pesquisadora da universidade sueca e também autora do trabalho. ;Outro resultado positivo foi que o tratamento foi bem tolerado e não produziu mais efeitos colaterais do que aqueles experimentados por mulheres que receberam o placebo;, completa. (VS)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação