Sr. Redator

Sr. Redator

Cartas ao Sr. Redator devem ter no máximo 10 linhas e incluir nome e endereço completo, fotocópia de identidade e telefone para contato. E-mail: sredat.df@dabr.com.br

postado em 26/12/2019 00:00
Reajuste

Realmente, é muito estranho ver o presidente Jair Bolsonaro e o governador Ibaneis Rocha anunciando, às vésperas do Natal, aumento de 8% para as polícias civil e militar e para os bombeiros do Distrito Federal. O reajuste não está previsto no Orçamento de 2020, aprovado recentemente, pelo Congresso. Não há, portanto, verba prevista para garantir esse gasto extra. Será que Bolsonaro e Ibaneis estão seguindo a cartilha de Dilma Rousseff e querendo pedalar? Se não sabem, ou fingem não saber, devem ficar atentos, pois esse tipo de manobra pode ser caracterizado como crime de responsabilidade fiscal. O destino de Dilma todos nós sabemos. Vão arriscar os mandatos?
; Paulo Araújo,
Asa Sul

É mais do que justo o reajuste de 8% para policiais civis e militares e para bombeiros do Distrito Federal. A defasagem salarial dessas carreiras é visível. Todos sabem o que policiais e bombeiros têm feito pela capital do país. Certamente, não há nenhuma unidade da Federação em que esses profissionais atuem tão bem. A violência no DF vem caindo sistematicamente. E os bombeiros dão exemplo de eficiência. Os governos federal e distrital realmente não podiam mais ficar de olhos fechados para tais categorias. É preciso saber premiar quem faz bem seu trabalho. Muitos vão dizer que não há espaço para esse tipo de aumento, mas estamos falando de meritocracia.
; Sílvio Coelho,
Águas Claras


Feminicídio

O mais recente caso de feminicídio no Distrito Federal explicita o quanto o Poder Público está despreparado para lidar com o assassinato de mulheres. Somente neste ano, 34 mulheres foram mortas por seus ex ou atuais companheiros. Até quando vamos aceitar, passíveis, tamanha violência. A sensação que se tem é que esse tipo de crime já está caindo na banalidade, que as pessoas não se comovem mais. Não podemos fechar os olhos. São muitos os inimigos das mulheres. A sociedade precisa se rebelar e cobrar dos governos medidas enérgicas para combater esse absurdo.
; Andreia Siqueira,
Sudoeste


Pobreza

Tomara as previsões dos economistas se confirmem e o Brasil, realmente, tenha crescimento maior em 2020. É muito triste ver depoimentos de pessoas que sequer tiveram recursos para comprar comida neste Natal. O país precisa entrar nos eixos, para que todos possam ter dignidade. As desigualdades são enormes. Poucos com muito, muitos com pouco. Sem diminuir esse fosso que separa ricos e pobres, não veremos redução da violência. O Brasil tem que voltar a criar empregos. Para isso, o governo precisa ter responsabilidade para executar políticas econômica inclusivas, não concentradora de riquezas.
; Thaís Seabra,
Lago Norte


Intolerância

O ano-novo se aproxima e todos devem fazer uma grande reflexão: até quando aguentaremos a onda de intolerância que se abateu sobre o Brasil? Esse ataque ao prédio da produtora do Porta dos Fundos por causa de um filme em que Jesus é gay é inconcebível. A Constituição do país garante a liberdade de expressão. Todos podem concordar ou discordar de algo, mas partir para a violência porque não gostou de uma coisa é demais. Infelizmente, muito dessa onda de intolerância está sendo estimulada por governos conservadores, movidos pelo fundamentalismo religioso. Basta!
; Samantha Salles,
Taguatinga




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação