Depen vai abrir concurso com 309 vagas

Depen vai abrir concurso com 309 vagas

Lorena Pacheco
postado em 02/01/2020 00:00
O primeiro dia de 2020 trouxe boas notícias para os concurseiros de plantão. Isso porque o ministro da Economia substituto, Marcelo Pacheco Guaranys, autorizou a realização de um novo concurso público nacional. De acordo com a portaria número 675, publicada no Diário Oficial da União de ontem, o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) está autorizado a abrir seleção. Serão oferecidas 309 vagas, sendo 294 para agente federal de execução penal, cargo que exige nível médio; e 15 para especialista federal em assistência à execução penal, posto de nível superior.

O prazo máximo para publicação do edital de abertura é de até seis meses, ou seja, até junho. A autorização foi comemorada pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, com um post em seu Twitter oficial. ;O governo de Jair Bolsonaro começa o ano com investimentos na segurança. Concurso para agente penitenciário federal. Cargo estratégico para políticas federais de isolamento das lideranças criminosas e de retomada, via Força de intervenção, do controle dos presídios estaduais;, escreveu.

Concorrência
O último concurso público do Depen ofereceu 258 oportunidades e foi realizado em 2015. De acordo com a banca organizadora, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), na ocasião, inscreveram-se 52.595 candidatos, o que registrou uma concorrência geral média de 253 pessoas por vaga. O posto com maior procura foi o cargo 9, área 3, para agente penitenciário federal, com 31.629 inscrições.

Além de provas objetivas, os candidatos também fizeram exame de aptidão física, avaliação médica e psicológica, investigação social e curso de formação profissional. Houve o cargo de técnico de apoio à assistência penitenciária, para nível médio e curso técnico em enfermagem. Cinco por cento das chances foram reservadas a pessoas com deficiência e 20%, para negros.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação