Períneo fortalecido

Períneo fortalecido

Fisioterapeutas alertam que exercitar os músculos do assoalho pélvico pode evitar uma série de problemas futuros e ajudar as mulheres a ter uma vida mais saudável

Renata Rusky
postado em 05/01/2020 00:00
O envelhecimento vem acompanhado de uma série de dificuldades: o corpo fica mais fraco, e a saúde mais comprometida. Uma das condições consideradas naturais da idade é, muitas vezes, a incontinência urinária. Fisioterapeutas, no entanto, lutam para que o problema não seja naturalizado ; ou atribuído ao parto, como ocorre com frequência. ;Um desejo nosso é que a nova geração de idosos não precise de fralda indiscriminadamente;, afirma a fisioterapeuta Andréa Bortolazzo, especialista em saúde da mulher.

A incontinência urinária costuma estar relacionada a uma disfunção no assoalho pélvico, também chamado de períneo. Embora se fale muito da incontinência especificamente, Andréa explica que a retenção urinária ou fecal também pode significar uma disfunção no períneo.

;Muitas pessoas têm o intestino preso e procuram nutricionistas para tentar resolver o problema, mas ele pode estar relacionado ao assoalho pélvico. Não pode haver nem incontinência nem retenção;, ensina. Uma pessoa que toma uma quantidade adequada de água, em torno dos 2 litros por dia, de acordo com seu tamanho e peso, deve urinar, em média, uma vez a cada três horas.

Por isso, recomenda-se que toda mulher se submeta a uma avaliação do períneo caso apresente sintomas como incontinência ou continência urinária ou fecal e dor na relação sexual (dispareunia). Grávidas, a partir de 12 semanas de gestação, também devem ser avaliadas para checar a necessidade de acompanhamento durante a gestação e no pós-parto. Um assoalho pélvico saudável pode evitar laceração da vagina e necessidade de episiotomia.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação