Sol Nascente ganha colégio

Sol Nascente ganha colégio

Em funcionamento desde segunda-feira, a Escola Classe Juscelino Kubitschek será inaugurada oficialmente hoje. Cerca de 900 alunos estudam no novo centro de ensino, o primeiro da região administrativa recém-criada

» WALDER GALVÃO
postado em 13/02/2020 00:00
 (foto: Walder Galvão/CB/D.A Press)
(foto: Walder Galvão/CB/D.A Press)

Cerca de 900 crianças do Sol Nascente ganharam a oportunidade de estudar perto de casa. Desde segunda-feira, a Escola Classe Juscelino Kubitschek (EC JK) abriu as portas para estudantes matriculados nos ensinos infantil e fundamental, do 1; ao 5; ano. Equipada com salas de artes, leitura, informática e música, a unidade é a primeira desse modelo instalada na região, considerada uma das mais carentes do Distrito Federal.

Apesar de o colégio ter iniciado o período letivo no início da semana, a inauguração está marcada para hoje. O governador Ibaneis Rocha (MDB) e o secretário de Educação, João Pedro Ferraz dos Passos, comparecerão à solenidade, aberta ao público. A construção da unidade foi viabilizada por meio de acordo judicial entre o Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) e a construtora Paulo Octávio, responsável pela execução e pelo custeio da obra.

O auxiliar de serviços gerais Ecílio Alves dos Santos, 61 anos, morava em Samambaia até o fim do ano passado, quando decidiu se mudar para o Sol Nascente com a família. Assim que chegou à região, soube da inauguração. ;A primeira coisa que fiz foi fazer a matrícula da minha menina. Agora, não ando nem 10 minutos para buscá-la. Isso facilitou muito as nossas vidas;, comentou. Caso não tivesse conseguido a vaga, ele precisaria ir a Ceilândia diariamente para que a filha Eliete dos Santos, 10, estudasse.

De acordo com Ecílio, a estrutura impressiona. ;Em Samambaia, a minha menina não estudou em escolas bonitas como essa. É impressionante;, destacou. O auxiliar de serviços gerais ressalta que a construção de uma unidade de ensino com equipamentos sofisticados incentiva as crianças a se interessarem pelos estudos. ;Para mim, isso significa uma valorização tanto da nossa região como da nossa comunidade;, afirmou.

A dona de casa Andrerose Cherubin, 37, acredita que o centro de ensino trará boas oportunidades para o filho Anderson, 5. ;Este é o primeiro ano dele como estudante. Caso não tivesse conseguido vaga, precisaria andar 45 minutos até a escola mais próxima. Aqui, não demoro nem 20;, ressaltou. Nascida no Haiti, ela veio do país caribenho há cinco anos e, desde então, mora no Sol Nascente. ;No momento, tudo está muito bonito. Agora, o ideal é que tenha manutenção, para que essa felicidade não acabe;, alertou.

Matrícula
Entre domingo e segunda-feira, pais interessados em matricular os filhos na EC JK dormiram em frente ao colégio em busca de uma vaga. A diretora da unidade, Marilda Rosa, ressaltou que todos os espaços disponíveis foram ocupados. ;Tivemos uma boa fila e colocamos os alunos conforme couberam;, informou. De acordo com ela, agora, a escola avalia se também funcionará na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA). ;Estamos fazendo pesquisas na comunidade para saber se há demanda;, explicou.

Marilda considera a inauguração um marco para os moradores do Sol Nascente. ;A unidade oferece uma qualidade de vida melhor aos estudantes. Desde segunda-feira, percebi que muitos pais e crianças se sentem emocionados. Temos o desafio de oferecer educação para essas pessoas e fazer uma transformação na vida delas;, disse.



Oportunidade

Além da Escola Classe JK, os moradores do Sol Nascente contam com outras três unidades de ensino, em Ceilândia: a Escola Classe Setor P Norte, o Centro de Ensino Fundamental 32 e a Escola Classe 66. Quem deseja transferir o filho matriculado na rede precisa registrar interesse diretamente no colégio e aguardar a disponibilidade de vaga.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação